domingo, 25 de agosto de 2013

Nobel de Medicina diz: “Cura de doenças não é lucrativa para a indústria farmacêutica”




O premio nóbel de medicina britânico, Richard J. Roberts, denunciou a indústria farmacêutica por antepor seus benefícios econômicos antes da saúde das pessoas, detendo o avanço científico da cura de enfermidades, porque curar não é rentável.
“Os medicamentos que curam não são rentáveis e, portanto, não são desenvolvidos pela indústria farmacêutica, que, no entanto, desenvolvem drogas cronificadoras que são consumidas de forma serializada”, Roberts disse em uma entrevista para a revista PijamaSurf.“Algumas drogas que poderia curar a doença não são investigadas.”
O cientista e pesquisador acusa a indústria farmacêutica de se esquecer de servir as pessoas e estar preocupado apenas com o desempenho econômico. “Eu vi como, em alguns casos, que os pesquisadores dependentes de fundos privados poderiam ter encontrado remédio muito eficaz que poderiam ter acabado completamente com a doença “, explicou.
Ele acrescenta que as empresas param de investigar, porque “eles não estão interessados em curá-los, mas somente em sacar seu dinheiro, assim a investigação, de repente, é desviada para a descoberta de medicamentos que não curam totalmente, mas que crônificam a doença e fazem experimentar uma melhoria que desaparece quando você parar de tomar a droga. “
Diante disso, diz que é comum para a indústria estar interessada em áreas de pesquisa, não para cura de doenças, mas “apenas para cronificar doenças com drogas cronificadoras muitos mais rentáveis do que curar completamente e de uma vez por todas “.
Quanto aos motivos de por que os políticos não intervêm, Roberts argumenta que “em nosso sistema, os políticos são apenas funcionários ‘dos grandes capitais’, que investem o necessário para que sejam eleitos seus protegidos, e se não saem, eles compram aqueles que foram escolhidos”.
E então, vocês confiam na indústria farmacêutica?
Fonte: Actualidad