domingo, 27 de janeiro de 2013

Congresso dos Médicos debate "Globalização da Saúde"





Luanda  - O segundo e último dia do encontro do VIII Congresso Internacional dos Médicos em Angola é marcado hoje, no período da tarde, com a discussão dos temas "A gestão dos serviços de urgências hospitalares" e a  "Globalização da Saúde".

Fonte: Angop Club-k.net

No programa dos trabalhos, a serem efectuados neste sábado, a que a Angop teve acesso, consta ainda que serão analisados assuntos como "Cardiologia de intervenção - avanços recentes", "Transplantes renais", "Nutrição no país e Vih/Sida" .
São ainda analisados os relatórios, as perspectivas e momentos da cirurgia plástica em Angola, patologia pôs-asfixia no período precoce, a utilização da psicologia médica na prática clínica das instituições públicas de saúde na cidade do Lubango, província da Huíla .
Neste período, estão ainda em abordagem aspectos como a digitalização como suporte ao diagnóstico por imagem e farmacovigilância intensiva nos hospitais do Lubango.
 O encontro decorre desde sexta-feira sob o lema "Saúde em Angola- o presente e o futuro", tendo a abertura sido presidida pelo vice-presidente da República, Manuel Vicente. Participaram dessa cerimónia, entre outros membros do Executivo, o ministro da Saúde, José Van-Dúnem.

Médicos pedem uniformização das normas de diagnóstico da diabetes

A uniformização das normas de diagnóstico da diabetes, de tratamento e seguimento da doença, capacitar enfermeiros e quadros médicos como endocrinologias foi apontado como uma das principais tarefas que o Ministério da Saúde deve realizar.
 Esta preocupação foi manifestada sábado, em Luanda, pelos participantes do VIII Congresso Internacional dos Médicos em Angola, que decorreu durante dois dias sob lema “A saúde em Angola o presente e o futuro”.
 Os participantes recomendaram o aumento da cobertura do pré-natal para a prevenção e tratamento da malária congénita.
A criação de protocolos específicos para a indicação da realização de endoscopias digestivas altas, devido ao facto de o excesso de uso este meio diagnóstico não encontrar correlação entre as indicações e os achados endoscópios.
 A promoção de hábitos alimentares saudáveis, um serviço de nutrição comunitária, em estreita ligação com o serviço de nutrição hospitalar capaz de atender situações críticas de mal nutrição, desnutrição e sub-nutrição constam das preocupações dos médicos.
 A reabilitação em Angola recomenda ter serviços disponíveis de internamento, ambulatório e oficinas orto-protesicas.
 No encontro, que decorreu durante dois dias sob lema “A saúde em Angola o presente e o futuro”, foram abordados temas como “perspectiva da medicina em Angola”, “a saúde da criança”, “epidemiologia da diabetes em África”, “a saúde mental”, “como alcançar um alto desempenho no sector da saúde em Angola ”, “cirurgia em oncologia”, “saúde materna”, “reflexões sobre o estado actual da sinistralidade rodoviária e socorrismo em Angola”.
  Organizado pelo Ministério da Saúde, em parceria com a Ordem dos Médicos de Angola, o encontro teve como objectivos a actualização, aprofundamento e enriquecimento técnico-científico dos médicos, bem como a troca de experiências produzidas no contexto nacional e internacional.