Por favor salvem esta menina. Apelo de Viana. Angola. Filha de 5 anos de idade que acerca de 2 anos está doente com Neoplasia Vesical (um tumor maligno na zona genital). O pouco que cada um pode dar já é muito para quem precisa, não precisamos ter muito para ajudar. Se cada um de nós depositar um pouco podemos ajudar a salvar a vida dessa menina. Quem puder ajudar pode depositar na conta: 000005001760033 ou IBAN A006.0034.0000.0500.1760.0334.1 de Lidia Manuel no banco Millenium

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Namibe: Homem tem 160 filhos de 49 mulheres





Mais de 140 ainda estão vivos; serviços de protecção fornecem ajuda à família

Armando Chicoca
VOA

Os serviços de protecção civil e bombeiro do Namibe estudam as formas mais expeditas para implementação de um programa de desenvolvimento comunitário direccionado à família mais numerosa de Angola, nesta urbe, que tem à cabeça Francisco Sabalo “Tchikuteny”, pai de 160 filhos vivos, 53 falecidos, 135 netos e 35 bisnetos, gerados com 49 mulheres, na localidade da Caleva, também conhecido por Giraul do Meio.
“Já cheguei a ter cinquenta e duas mulheres, depois ficaram quarenta e nove e agora apenas quarenta e três mulheres. O decrescimento deveu-se as dificuldades da vida, os desvios e o fracasso da fé”,disse .
Comparativamente ao ano passado o número de filhos subiu de 158 para 160 petizes, mas o mesmo não se pode dizer quanto ao número de mulheres que decresceu de 49 para 43.
 O Comandante do Namibe dos serviços de protecção civil e bombeiro, Alberto Machado, que visitou aquela família, muito recentemente disse que estão em curso estudos que visem conceder apoios sustentáveis para que esta comunidade tenha auto-sustentabilidade e as crianças possam formar-se sem sobressaltos.
Francisco Tchikuteny agradeceu a oferta de bens doados pelos serviços de protecção civil e Bombeiros do Namibe.
O ancião lamenta a escassez de chuvas que se faz sentir nesta região, o que na sua óptica fez regredir os níveis logísticos da sua comunidade no Giraul/Caleva.
Esta comunidade tem recorrido as sondas artesanais para poder obter água, visando manter a vida nesta localidade, segundo Francisco Tchikuteny.