Por favor salvem esta menina. Apelo de Viana. Angola. Filha de 5 anos de idade que acerca de 2 anos está doente com Neoplasia Vesical (um tumor maligno na zona genital). O pouco que cada um pode dar já é muito para quem precisa, não precisamos ter muito para ajudar. Se cada um de nós depositar um pouco podemos ajudar a salvar a vida dessa menina. Quem puder ajudar pode depositar na conta: 000005001760033 ou IBAN A006.0034.0000.0500.1760.0334.1 de Lidia Manuel no banco Millenium

sexta-feira, 30 de março de 2012

A nível mundial. Moçambique entre 22 países com alto índice de tuberculose


 Maputo (Canalmoz) – Apesar de vários programas que são geridos a nível do Ministério da Saúde, regra geral, com financiamento de parceiros de cooperação, Moçambique faz parte dos 22 países com elevado índice de tuberculose.
Pelo menos 68 mil a 87 mil novos casos de tuberculose ocorrem todos os anos.
A taxa de co-infecção pela TB/HIV é de 66%.
Estes dados foram divulgados pela agência norte-americana de Desenvolvimento, USAID, um dos parceiros do MISAU.
O quadro negro não se resume apenas à tuberculose em si. Moçambique tem também uma das cinco maiores taxas de prevalência de tuberculose resistente a vários medicamentos, denominada TB-MDR em toda a África. Para a USAID, a TB também está a tornar-se um sério desafio.
A USAID refere que estas estatísticas preocupantes devem servir como um apelo urgente para a tomada de medidas visando o combate a esta doença considerada como uma das primeiras causas de mortalidade em Moçambique.

Expandida capacidade de diagnóstico

Um das causas que aceleram a morte por tuberculose é o seu diagnóstico tardio. De acordo com a USAID, a detecção de casos de tuberculose nas comunidades foi expandida para todos as zonas do país, contribuindo para um aumento no número de casos de TB notificados. Durante muitos anos, a capacidade de diagnosticar a TB multi-droga resistente (TB-MDR) limitava-se à cidade de Maputo.
Com o apoio do Governo dos Estados Unidos, o Ministério da Saúde expandiu a capacidade para a Beira, aumentando a capacitação para se efectuar o diagnóstico laboratorial através da reabilitação do Laboratório de Referência Regional da Beira, bem como da compra de materiais de diagnóstico laboratorial e da implementação de ferramentas de diagnóstico novas e poderosas. Como resultado disso, tem sido observado um aumento significativo no número de doentes com diagnóstico de tuberculose resistente aos medicamentos comuns e a esses doentes tem sido administrado um tratamento adequado. Tais iniciativas permitiram que pela primeira vez, Moçambique alcançasse um dos objectivos chave do controlo da tuberculose: tratar com sucesso 85% dos doentes em tratamento nas unidades sanitárias de todo o país. Esta conquista notável terá um impacto positivo nos esforços para controlar a epidemia da tuberculose. Adicionalmente, em todas as 11 províncias o Ministério da Saúde, em parceria com o Governo dos Estados Unidos, integrou as actividades da TB/HIV para adultos e crianças nos serviços clínicos.
A USAID e os Centros de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos têm vindo a apoiar os esforços de controlo da tuberculose desde 2005. A assistência do Governo dos Estados Unidos, em coordenação com o Ministério da Saúde (MISAU), outros doadores e parceiros de implementação, oferece apoio contínuo ao Programa Nacional de Controlo da Tuberculose em Moçambique.
O Governo dos Estados Unidos reafirma o seu compromisso de estabelecer parcerias com as contrapartes do governo local, da sociedade civil e do sector privado para aproveitar o poder da ciência, tecnologia e inovação para oferecer uma melhor saúde e a um custo mais baixo. A vigilância contínua é essencial para atingir a meta do Objectivo de Desenvolvimento do Milénio da ONU, de reduzir para metade a prevalência da tuberculose e mortes até 2015. (Raimundo Moiane)
Imagem: tuberculose em Moçambique. Ouvir (07:00) · Adicionar à minha playlist
portugues.rfi.fr