domingo, 13 de dezembro de 2009

Figuras Célebres da Medicina Tropical. David Bruce, cognominado o "Sherlock Holmes" da Medicina Tropical


Famosos São os Institutos de Medicina Tropical de Hamburgo, de Londres, de Liverpool, da Antuérpia, de Basiléia, de Lisboa e outros, neles trabalhando pesquisadores de grande valor. Por sua vez, diversos laboratórios de produtos farmacêuticos localizados na Europa Ocidental orientam projetos de pesquisa visando a terapêutica de doenças que ocorrem com maior incidência no grande mundo tropical.

Célebres figuras da Medicina Tropical acabam de ser focalizadas pelo Dr. Gernoth Rath, da Universidade de Bonn, em apreciado volume publicado pelos Laboratórios Bayer e prefaciado pelo Prof. Walter Kikuth, do Instituto de Higiene da Academia de Medicina de Dusseldorf. Nele São biografados dais grandes nomes da medicina brasileira - Oswaldo Cruz, cujo centenário de nascimento comemoramos a 5 de agosto passado e Carlos Chagas, que deixou seu no me vinculado ao estudo da tripanosomíase americana.

Para o entendimento de qualquer ramo da ciência, afirma com razão o Prof. Kikuth, é indispensável conhecer-lhe a evolução histórica. Sucessivas gerações de investigadores dedicaram suas vidas ao estudo da Medicina Tropical. Hipócrates, nos livros 1° e 3°, das "Epidemias" mostrava-se conhecedor da malária, um dos flagelos dos países mediterrâneos, no passado.

As descrições da sintomatologia da peste bubónica, do tifo exantemático e da disenteria permitem a conclusão de que o famoso médico estava familiarizado com estas enfermidades. Na história das helmintíases destaca-se Avicena (980-1037), médico nascido em Afchena, povoação próxima de Bucara (Uzbequistão). A varíola te ve em Edward Jenner seu grande estudioso. Médico rural, em Berkeley, onde nascera a 17 de maio de 1749, foi ele o introdutor da vacina antivariólica, praticada pela vez primeira no menino James Phipps, com a linfa de varíola bovina. Theodor Bilharz, médico alemão, foi o grande estudioso da bilharziose vesical, doença de ocorrência ainda comum nos países do Oriente.

Armauer Hansen deixou seu nome ligado ao estudo da hanseníase, descobrindo o seu agente etiológico. Patrick Manson (1844- 1922), o fundador da Escala de Medicina Tropical de Londres, trabalhou em Tacau, na Ilha Formosa, em Amoi, na China e, finalmente, em Hong Kong, estudando doenças tropicais. Famoso é o seu tratado sobre tais enfermidades.

Alphonse Laveran (1845-1922), prémio Nobel de Medicina, descobriu o agente etiológico da malária. Médico militar, trabalhou principalmente na Argélia, voltando depois a Paris, para se fixar no Instituto Pasteur.
Daniel Carrión, o mártir da medicina peruana;
Walter Reed, o grande estudioso da febre amarela, em Cuba;
Giovanni Battista Grassi, autor de numerosos trabalhos sobre malária e helmintíases;
David Bruce, cognominado o "Sherlock Holmes" da Medicina Tropical;
Donald Ross, descrevendo a evolução do agente da malária no mosquito transmissor;
Nocht, o fundador do Instituto de Medicina Tropical de Hamburgo, onde trabalhou nosso consagrado Henrique da Rocha Lima;
Theobald Smith, grande estudioso de numerosas zoonoses;
Borowsky, médico do exército russo, um dos primeiros investigadores a estudar o calazar;

Arnold Theiler, veterinário suiço e famoso protozoologista; Aristides Agamonte, parasitologista cubano;
Ricketts, Balfour, Brahmacari, Dutton, Kawamura e Mehamed Khalil, conceituado cientista egípcio foram as grandes figuras biografadas por Rath neste precioso volume, excelente trabalho de historiografia médica.

Imagem: http://iriscelta.multiply.com/photos/