Por favor salvem esta menina. Apelo de Viana. Angola. Filha de 5 anos de idade que acerca de 2 anos está doente com Neoplasia Vesical (um tumor maligno na zona genital). O pouco que cada um pode dar já é muito para quem precisa, não precisamos ter muito para ajudar. Se cada um de nós depositar um pouco podemos ajudar a salvar a vida dessa menina. Quem puder ajudar pode depositar na conta: 000005001760033 ou IBAN A006.0034.0000.0500.1760.0334.1 de Lidia Manuel no banco Millenium

sexta-feira, 14 de março de 2014

Angola deixou de enviar pacientes para o exterior com problemas de cardiopatia do fórum cirúrgico


Luanda - Angola deixou de enviar pacientes para o exterior com problemas de cardiopatia, cujo tratamento é de fórum cirúrgico, há cinco anos, divulgou quarta - feira, 12/03, a RNA.

Fonte: RNA/Angop
Club-k.net

Desde a abertura dos serviços de cardiologia e cirurgia cardíaca em 2008, no hospital Josina Machel, já foram operadas mais de 1000 pessoas. O serviço está equipado com tecnologia de ponta e tem a capacidade de operar, gratuitamente, uma pessoa por dia, segundo o director, Constantino Chieva.
“Nós já operamos 1.011 pacientes com doença cardíaca”, referiu.
Constantino Chieva disse que são cirurgias de alta complexidade e feitas, gratuitamente, com o total suporte do governo.
Inaugurado pelo ministro da saúde, José Van-Dúnem, a enfermaria vai proporcionar conforto aos pacientes nas fases pré e pós operatórias e aos profissionais que, doravante, passam a trabalhar em ambiente mais agradável e produtivo.
A área ora inaugurada conta com 13 enfermarias com capacidade para 36 camas e um quadro de pessoal do serviço com 120 trabalhadores, dos quais 15 médicos especialistas em cardiologia.
No acto da inauguração, o ministro José Van-Dúnem disse que a abertura da nova enfermaria vem mais uma vez demonstrar o quanto o Executivo angolano está empenhado em proporcionar melhor qualidade de vida aos cidadãos.
Estiveram presentes no acto o secretário de estado da saúde, Carlos Alberto Masseca, o bastonário da ordem dos médicos, Carlos Alberto Pinto de Sousa, e funcionários seniores do Ministério da Saúde.