terça-feira, 10 de junho de 2014

“a malária continua ser a primeira causa de morte em Angola.” Mihaela Webba



Hoje dia 9 de Junho de 2014, se estivesse em vida o meu pai completaria 60 anos de vida. Infelizmente ele cumpriu com as estatísticas da esperança de vida na altura, pois faleceu com 45 anos, vítima de Malária Cerebral. Mais de 14 anos são passados desde o seu falecimento e as coisas continuam na mesma, ou seja a malária continua ser a primeira causa de morte em Angola.
Mesmo com um OGE bilionário, o principal gestor do nosso dinheiro continua a demonstrar a sua incapacidade e incompetência em gerir o erário público de modo rigoroso, eficaz, transparente e eficiente, no sentido de resolver o problema (do povo) da falta de saúde e de saneamento básico.
O tão propalado crescimento económico ainda não se reflecte nem na qualidade de vida dos angolanos tão pouco na nossa longevidade; e a pergunta que todos sabemos a resposta será sempre a seguinte: de quem é a responsabilidade por cada morte de um angolano por malária nos dias de hoje?