Por favor salvem esta menina. Apelo de Viana. Angola. Filha de 5 anos de idade que acerca de 2 anos está doente com Neoplasia Vesical (um tumor maligno na zona genital). O pouco que cada um pode dar já é muito para quem precisa, não precisamos ter muito para ajudar. Se cada um de nós depositar um pouco podemos ajudar a salvar a vida dessa menina. Quem puder ajudar pode depositar na conta: 000005001760033 ou IBAN A006.0034.0000.0500.1760.0334.1 de Lidia Manuel no banco Millenium

sexta-feira, 13 de junho de 2014

Sintomas da Varicela


A varicela é uma doença, tipicamente, da infância e muito frequente. Das mais contagiosas, surge principalmente no Inverno e na Primavera, afectando, todos os anos, em Portugal, milhares de crianças.

Sintomas
Na maioria das crianças a erupção cutânea (exantema) e os sintomas gerais ocorrem em simultâneo.

http://bebes.kazulo.pt/26640/sintomas-da-varicela.htm

O primeiro sintoma é a febre ligeira.

Depois surgem pequenas manchas vermelhas ou máculas, dispersas, primeiro no couro cabeludo e mais tarde surgem na cara, tronco, axilas, braços, pernas, boca e por vezes na traqueia e brônquios (raramente atingem as palmas das mãos ou plantas dos pés), e provocam muita comichão, causando grande desconforto para a criança.

Deixam de surgir novas lesões ao fim de 5 dias e a maioria forma crosta em 6 ou 7 dias.

O que é a Varicela?
A varicela é uma doença geralmente sem gravidade, embora, por vezes, se possa complicar em casos específicos.

A doença é causada por um vírus da família dos herpesvirus humanos (responsável pelo herpes), chamado vírus varicela-zoster, mais conhecido como zona.

Da varicela podem resultar cicatrizes, na maioria das vezes quando as lesões infectam. Por este motivo é fundamental impedir que a criança se coce, de modo a impedir a infecção e consequentemente as cicatrizes.

A doença adquire-se principalmente na infância com maior incidência entre os 2 e os 8 anos, sendo pouco frequente no adulto.

Nas crianças mais velhas, adolescentes e sobretudo nos adultos a varicela pode ser mais grave, manifestando-se através de sintomas mais severos e associando-se, por vezes, ao aparecimento de complicações.

Factores de risco
São afectadas com maior frequência e também com maior gravidade:
crianças cujo sistema imunitário se encontra enfraquecido;
crianças infectadas pelo vírus da Sida;
crianças que fazem terapia prolongada com corticóides (por exemplo no tratamento da asma), com ácido acetil-salicílico ou derivados;
crianças que fazem terapia prolongada com outros fármacos usados para tratar neoplasias malignas, como as leucemias.
grávidas (grupo de risco elevado) sobretudo se não tiverem contraído varicela na infância.
recém-nascidos
crianças mais velhas (pré-adolescentes),
adolescentes,
adultos.

Nos casos em que a mãe já teve varicela o recém-nascido adquire imunidade por via transplacentária pelo que a doença é rara abaixo dos 6 meses.

Transmissão
O vírus pode ser transmitido pelas secreções respiratórias, através do ar, por tosse, espirros ou diálogos, ou por contacto com o líquido das lesões cutâneas, quando estas se rompem.

Na grávida, outra forma de transmissão é a via transplacentária que pode levar à infecção do feto.

A fase de incubação do vírus correspondente ao período que decorre desde o momento da infecção até ao aparecimento dos primeiros sintomas (14 a 16 dias).
Durante essa fase, o vírus multiplica-se, e entra na corrente sanguínea, acabando por atingir a pele, em que surgem as lesões cutâneas disseminadas.

Um doente com varicela é contagioso desde 1 a 2 dias antes do início da erupção cutânea até que todas as vesículas tenham secado, e formado crostas que já não contêm o vírus vivo (5 a 10 dias).

Tratamento
Se detectar sintomas de varicela nas suas crianças, consulte de imediato um médico.
O que pode fazer em casa?
- hidratar a criança
- cuidar da sua higiene: lavagem das mãos
- manter as borbulhas limpas e secas
- manter as unhas da criança curtas e limpas
- dar banhos de água morna, várias vezes ao dia nos primeiros dias
- enxugar o corpo com uma toalha macia, depois do banho, evite esfregar.
- aplicar loções calmantes ou pomadas anti-pruriginosas (para diminuir a comichão), nas lesões.

Evite administrar medicamentos sem consulta médica, no entanto, saiba que não existe tratamento da doença, mas sim dos sintomas e que para controlar a febre e a dor recomendam-se fármacos de acção antipirética e analgésica (por exemplo, paracetamol).

A comichão, pode ser aliviada com o uso de anti-histamínicos.

São desaconselhados medicamentos com ibuprofeno ou ácido acetilsalicílico (e derivados), pelo risco de poder vir a provocar efeitos secundário graves para a criança.

Prevenção
A transmissão do vírus é difícil de prevenir devido ao facto da criança infectada já ser contagiosa 24h a 48h antes do aparecimento da erupção cutânea.

A varicela é uma doença que poderá ser prevenida por vacina.

Em Portugal, as vacinsa para ajudar a proteger adultos e crianças contra a varicela são a Varivax e a Varilrix.