sábado, 16 de agosto de 2014

Angola. O EBOLA atingiu o Município do Camucuio/ Namibe. Felix Miranda




O MPLA É INTRATÁVEL - TERRÍVEL, FALTA DE ESCRUPULOS E NO MINIMO VERGONHA
SOS Ebola
O EBOLA atingiu o Município do Camucuio/ Namibe
Esta informação foi dada por brigadistas do MPLA destacados em todas as artérias do Camucuio, coincidentemente na manhã da previsão da chegada do Presidente da CASA-CE àquele município.
JMPLA e OMA ocuparam todos os cantos, Praça, Mercado, cada canto de uma rua; evacuaram o hospital municipal, onde durante a visita não se encontrou doentes; libertaram os professores para participarem da campanha; dispensaram os alunos; alertaram os habitantes para não sairem das suas casas, sob o protesto de estarem a fazer a campanha contra o/ a EBOLA que chegou ao Município.
De acordo com as declarações de muitos dos participantes da Brigada não satisfeitos e que manfestaram descontentamento, por não compreenderem o porquê que, ao mesmo tempo que lhes foi dado o alerta, portanto na mesma manhã, tomaram logo essas medidas, que no seu ver eram despidas de senso. As mamãs e jovens fardaram-se com as camisolas, lenços, chapéus do MPLA e quadricularam todo o sítio provável de passagem de Chivukuvuku.
A população do Camucuio ficou agitada, a praça abandonada e as ruas desertas. Uma das viaturas do MPLA que passou a escoltar a caravana no interior da cidade tinha mesmo sido destacada a entrada da Vila a espera da caravana.
Logo que a Caravana da CASA chegou, começaram a surgir pessoas que pareciam até ali estarem escondidas com o vermelho, preto e amarelo, como atestam as imagens em evidência, e a forçarem cruzar-se provocatoriamente com os membros da delegação do Presidente Abel, como se pode ver nas imagens, sempre com a testemunha dos jornalistas, tanto da ANGOP, da Rádio Local, ou da TPA Namibe que cobrem a digressão, bem como a força policial de escolta.
“O EBOLA chegou ao Camucuio”, foi o grito de guerra. Os brigadistas do MPLA, bem enquadrados, uns faziam-se transportar por uma viatura Toyota de cor vermelha, com Matricula: LD-33-45-FI. Os populares fugiam com medo. O que chamou a atenção da grande farsa foi que os ditos brigadistas não portavam nem luvas, nem máscaras e ao invés de sensibilizarem os populares para as medidas de precaução como seria óbvio, intimidavam todo aquele que tentasse se aproximar de um militante da CASA.
Se realmente esta triste e irresponsável encenação não se trata do virus EBOLA como se pretendeu crer, e se o objectivo foi no fundo para afugentar as pessoas a não receberem Chivukuvuku, está mais uma vez provado que instalou-se a nível dos municípios um estado de terror; ou melhor um autêntico terrorismo de Estado, pior ao do tempo da guerra.
Este clima de intolerância, praticamente foi também vivido na Bibala, situação de que nos vamos referir nos próximos trabalhos. Outros dados indicam que estas operações foram coordenadas pelos administradores, ao mesmo tempo primeiros secretários do MPLA, de seus nomes: João Guerra, Secretário Municipal do Namibe, Mário Tchova, administrador adjunto da Bibala, e José Sombo, Administrador do Camucuio.
De resto, as imagens em apoio falam por si.