domingo, 12 de abril de 2009

Intoxicação com gerador a gasolina causa perda de memória em brasileiro


O gás liberado pelo gerador é o monóxido de carbono (CO). Em contato com o sangue, pode levar à morte por asfixia. A exposição a doses relativamente elevadas do monóxido de carbono, que é altamente tóxico, pode causar problemas de visão, redução da capacidade de trabalho e até mesmo matar.

O brasileiro ficou gravemente intoxicado ao usar um gerador de gasolina para uso externo dentro de casa. Reprodução

O uso inadequado de equipamentos fabricados especialmente para uso externo pode causar sérios danos à saúde. Um exemplo é o brasileiro conhecido como Júnior “Murrá”, que colocou dentro do apartamento onde morava em Danbury, Connecticut, um gerador movido à gasolina. Segundo os médicos, se não tivesse sido socorrido a tempo, Murrá não teria sobrevivido.

Segundo Rogério, amigo de Murrá, o acidente aconteceu há cerca de três meses. O brasileiro teria utilizado o gerador à gasolina porque faltou energia elétrica no apartamento. O equipamento soltou monóxido de carbono e intoxicou Murrá, que foi encontrado desacordado por amigos.

Levado inicialmente ao Hospital de Danbury, Murrá foi transferido para o Hospital de Norwalk, a fim de ser ligado a uma máquina para limpar o sangue. Os médicos disseram que Murrá não ficaria com sequelas, mas a perda de memória sofrida por ele pode levar até três anos para ser totalmente curada.

O gás liberado pelo gerador é o monóxido de carbono (CO). Em contato com o sangue, pode levar à morte por asfixia. A exposição a doses relativamente elevadas do monóxido de carbono, que é altamente tóxico, pode causar problemas de visão, redução da capacidade de trabalho e até mesmo matar.

Morando atualmente com Rogério, Murrá ainda sofre perda de memória e às vezes não lembra coisas básicas, como quem esteve visitando ele. “Se você der comida, ele come, se não der, não come”, disse Rogério, acrescentando que é preciso sempre pedir para ele fazer as coisas. Mesmo assim, disse que Murrá está se recuperando aos poucos.

Murrá é natural de Guanhães (MG) e está nos EUA há cerca de seis anos, onde trabalhava com roofing. Sem parentes no país, ele não quer ir embora, mas Rogério está decidido a enviá-lo de volta ao Brasil, onde está a família do amigo. “Vai depender do que o médico disser, depois da consulta no dia 20 deste mês”. De acordo com Rogério, Murrá, que é solteiro e tem um filho, tem consciência de que está doente.

Para Rogério, o caso de Murrá serve de alerta. “Jamais ligar um gerador destes dentro de casa”. Ele não soube especificar o que aconteceu com o gerador, mas disse que Murrá utilizava o equipamento em ambientes externos, como deve ser, e acha que o amigo foi imprudente em colocar um aparelho deste tipo dentro de casa.

Bom senso ajuda a evitar tragédias
De acordo com Alex Ferreira, bombeiro voluntário da Companhia Independent 4 em Danbury, a melhor coisa é usar o bom senso. “É preciso pensar muito no que se traz para dentro de casa”, disse. Apesar de não ser experiente na área de prevenção, Alex disse que é bom estar atento para pequenas ações. “Use tudo da maneira certa. Se não consegue ler o manual, peça a alguém que consiga”.

Dois casos ocorridos em Connecticut chamam a atenção. Em um deles, as cinzas retiradas da lareira foram colocadas num balde plástico. Como ainda havia brasa, a casa foi totalmente perdida e os dois cachorros morreram. No outro caso, um casal de idosos esqueceu de desligar o carro quando chegou em casa à noite. Intoxicados pela fumaça do cano de descarga, foram encontrados mortos cerca de dois dias depois.

Cuidados
Segundo dicas de segurança fornecidas pela empresa Caterpillar, líder mundial na fabricação de motores à diesel e gás natural, muitas pessoas já morreram por se intoxicarem com CO, devido ao uso de ferramentas e geradores à gasolina em ambientes sem ventilação adequada. A intoxicação grave causa danos neurológicos, doenças, coma e morte.

Ao menor sinal dos sintomas de intoxicação por CO – dores de cabeça, tonturas, sonolência, náuseas e perda da consciência – principalmente em ambientes internos, desligue o equipamento imediatamente, evacue o local e chame a emergência (911 nos Estados Unidos).

Entre as medidas de precaucão dadas pela Caterpillar estão: evitar o uso de equipamentos a diesel, gás propano líquido (LP) ou gasolina em ambientes internos. Se possível, utilize equipamentos elétricos; abra as janelas; verifique se os geradores possuem cerca de 1 metro a 1,5 metros de espaço livre nos lados e acima; ao utilizar algum equipamento internamente, verifique se ele está em boas condições de funcionamento; e por fim, se apresentar qualquer um dos sintomas de intoxicação por CO, procure ar livre e assistência médica.
Por: Angela Schreiber
http://www.comunidadenews.com/local/intoxicacao-com-gerador-a-gasolina-causa-perda-de-memoria-em-brasileiro-4558