Por favor salvem esta menina. Apelo de Viana. Angola. Filha de 5 anos de idade que acerca de 2 anos está doente com Neoplasia Vesical (um tumor maligno na zona genital). O pouco que cada um pode dar já é muito para quem precisa, não precisamos ter muito para ajudar. Se cada um de nós depositar um pouco podemos ajudar a salvar a vida dessa menina. Quem puder ajudar pode depositar na conta: 000005001760033 ou IBAN A006.0034.0000.0500.1760.0334.1 de Lidia Manuel no banco Millenium

sábado, 1 de dezembro de 2012

Fumar “apodrece” o cérebro


Segundo um novo estudo da King’s College London (Reino Unido), fumar “apodrece” o cérebro, danificando seus centros de aprendizagem, memória e raciocínio.
Os pesquisadores queriam investigar a ligação entre a probabilidade de um ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral (derrame) e o estado do cérebro. Para tanto, a saúde de 8.800 pessoas com mais de 50 anos foi analisada.
Além de informações de estilo de vida, os participantes tiveram que fazer testes para o cérebro, como aprender quantas novas palavras ou nomes conseguissem em um minuto. Todos foram testados três vezes: no momento do estudo, quatro anos depois e oito anos depois.
Os resultados mostraram que o risco geral de um ataque cardíaco ou derrame estava significativamente associado com o declínio cognitivo. As pessoas que apresentaram maior risco tinham o maior declínio em capacidade mental.
Houve uma “associação coerente” entre o fumo e a menor pontuação nos testes. Além do tabaco, pressão arterial elevada e/ou estar acima do peso também pareceu afetar o cérebro, mas em menor grau.
Segundo os pesquisadores, as pessoas precisam estar cientes de que seus estilos de vida podem danificar não só seu corpo, mas também sua mente.
“O declínio cognitivo se torna mais comum com o envelhecimento e pode interferir com o funcionamento diário e bem-estar de muitas pessoas. Identificamos certo número de fatores de risco que podem ser associados com o declínio cognitivo acelerado, e todos podem ser modificáveis”, explica o Dr. Alex Dregan, um dos autores do estudo.
Isso significa que as pessoas podem fazer mudanças em seu estilo de vida para diminuir seu risco de declínio cognitivo, levando uma vida melhor por mais tempo. Muitas pesquisas indicam repetidamente que fumo e pressão arterial elevada aumentam o risco de declínio cognitivo e demência, e esse estudo é mais uma evidência para alertar as pessoas.
“Nós todos sabemos que o tabagismo, pressão arterial alta, colesterol elevado e um alto IMC [índice de massa corporal] são ruins para o nosso coração. Esta pesquisa contribui para a enorme quantidade de evidências que sugere que também podem ser ruins para a nossa cabeça”, informa a Sociedade Britânica de Alzheimer.
Entre as recomendações dos especialistas para manter uma boa saúde mental estão: comer uma dieta equilibrada, manter um peso saudável, fazer exercícios regularmente, checar sua pressão arterial e colesterol e não fumar.[BBC, Examiner, Foto]
HYPESCIENCE