quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Zimbabué sem sistema de saúde


O país africano converteu-se na ruína económica, com um sistema sanitário colapsado e o desespero que provocam as fortes erupções de cólera, malária e sida.

Hiperinflação e cólera

Debaixo do jugo asfixiante de Mugabe, o Zimbabué converteu-se na pior economia do mundo. O banco central decidiu reavaliar na semana passada o dólar zimbabueano uma vez mais e eliminar 12 zeros da sua moeda para tentar frear a hiperinflação que assola o país e evitar o colapso, com 94% da população no desemprego.

O país sul-africano batalha contra a inflação mais alta do planeta, estimada oficialmente em 231.000.000 %, e enfrenta uma escassez severa de alimentos e divisas. Mas, ao mesmo tempo chegaram as más notícias, quando o Programa Mundial de Alimentos (PMA) anunciou que a partir de Fevereiro redistribuirá os mesmos lotes de ajuda, ainda que cresçam cada mês alarmantemente o número de bocas a alimentar.

Entretanto, a população do Zimbabué sofre a pior erupção de cólera da sua história. Mais de 3.000 pessoas morreram pela epidemia e umas 60.000 foram infectadas, segundo números da Organização Mundial da Saúde (OMS). As autoridades médicas fazem o possível enquanto a malária e a sida seguem cobrando vidas no país, convertendo o Zimbabué numa das dez crises humanitárias mais esquecidas do mundo, segundo o último informe dos Médicos Sem Fronteiras (MSF).

Traduzido do espanhol
http://www.elpais.com/articulo/internacional/opulenta/fiesta/cumpleanos/Mugabe/elpepuint/20090210elpepuint_12/Tes

Foto: http://mocmagazine.blogspot.com/2008/12/j-no-h-clera-no-zimbabwe-afirma-mugabe.html

Visite-me também em: Universidade, Universe e Universal