sexta-feira, 29 de julho de 2011

NOTAS DE IMPRENSA: PRISÕES EM CABINDA E DESMAIOS ESTUDANTIS



PRISÕES EM CABINDA, BLOCO EXIGE LIBERTAÇÃO IMEDIATA

1. Há dois dias voltaram a observar-se prisões em Cabinda. Desta vez pelo simples facto de activistas do Direitos Humanos pretenderem entregar a uma exposição a uma delegação da União Europeia presente na Provincia.

2. Entre os detidos, que estão em condições infra humanas na cadeia de Cabinda e não recebem visitas, está o cidadão Júlio Paulo, membro do Bloco Democrático. A situação de alguns presos é crítica e inspira cuidados médicos.

3. O Bloco Democrático, deplora mais esta intolerância do Governo, lembra ao Governo que em democracia a liberdade de expressão é um dado inquestionável e exige a libertação imediata de todos os activistas presos.

Luanda, 27 de Julho de 2011

O Secretário Geral
Filomeno Vieira Lopes

NOTA DE IMPRENSA

INTOXICAÇÃO DE ALUNOS, FRACA ATENÇÃO GOVERNAMENTAL

1. Desde há mais de 90 dias que se observam problemas graves de saúde (desmaios consecutivos) devido a intoxicação dos alunos do ensino secundário em Luanda através de gases tóxicos.

2. O Bloco Democrático constata que, apesar das graves consequências causadas por tais gases, em que muitos alunos são forçados a receber assistência hospitalar, as autoridades têm mostrado lentidão e incapacidade em identificar de facto o que se passa, que tipo de produto é utilizado, qual a sua origem e quem tem actuado criminosamente contra os estudantes.

3. O Bloco Democrático deplora a incapacidade do Governo em saber o que se passa e encontrar os responsáveis dessa grave situação. Isto traduz a baixa preocupação do Governo com os problemas que atingem os sectores populacionais menos favorecidos. Mostra que a atenção do Governo com os problemas da Educação é incipiente e que o nível e qualidade do policiamento não é sério.

4. O Bloco Democratico exige que o Executivo de Eduardo dos Santos tome medidas imediatas para resolver esta situação que está a estabelecer o pânico entre os estudantes secundários, incluindo o recurso a peritos externos. O Bloco defende que os órgãos de Investigação empreguem todos os meios ao seu alcance para solucionar o problema e que a Educação encare a possibilidade duma pausa técnica generalizada, uma vez que a forma de actuação indicia crime organizado.

O Bloco Democratico, Luanda, aos 27 de Julho de 2011