quinta-feira, 28 de julho de 2011

Quanto mais pobre, mais velho? Teste de DNA associa envelhecimento com pobreza


Um estudo recente confirmou a ligação entre fatores sociais e a taxa em que as pessoas envelhecem.

Cientistas escoceses desenvolveram um novo teste do processo de envelhecimento com base em evidências de DNA.

Os pesquisadores mediram o comprimento dos telômeros, caudas nas extremidades dos cromossomos, em amostras de pessoas da área de Glasgow, Escócia.

Os telômeros tendem a ficar mais curtos ao longo da vida de uma pessoa, o que indica a velocidade do processo de envelhecimento.

Os cientistas descobriram que, ao longo de um período de 10 anos, os telômeros encurtaram em uma média de 7,7% em pessoas cuja renda familiar era inferior a cerca de 63 mil reais. Naqueles com rendimentos mais elevados, a redução média foi de 0,6%.

Uma tendência semelhante no comprimento dos telômeros foi encontrada em comparações daqueles que moravam em habitação alugada contra os proprietários de casa, e daqueles com dietas mais pobres contra aqueles que comiam bem.

“Nós mostramos que o envelhecimento acelerado é associado com o status social e a privação”, comentou o cientista Paul Shiels. “Isso é mais prevalente nos com mais de 55 anos e naqueles com renda familiar menor que 63 mil reais”.

O efeito é exacerbado pela dieta, ao simplesmente não comer cinco porções de frutas e vegetais por dia.

O teste indica o processo envelhecimento dentro de grupos de população, mas não mede com precisão a expectativa de vida de um indivíduo, por causa de diferenças naturais no comprimento dos telômeros.

O valor da descoberta da pesquisa é ao nível da população, onde um grande número de sujeitos permite que os cientistas observem tendências durante um período de tempo.[BBC]

http://hypescience.com/quanto-mais-pobre-mais-velho-teste-de-dna-associa-envelhecimento-com-pobreza/

Hypescience