Por favor salvem esta menina. Apelo de Viana. Angola. Filha de 5 anos de idade que acerca de 2 anos está doente com Neoplasia Vesical (um tumor maligno na zona genital). O pouco que cada um pode dar já é muito para quem precisa, não precisamos ter muito para ajudar. Se cada um de nós depositar um pouco podemos ajudar a salvar a vida dessa menina. Quem puder ajudar pode depositar na conta: 000005001760033 ou IBAN A006.0034.0000.0500.1760.0334.1 de Lidia Manuel no banco Millenium

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Implantes PIP têm aditivos de combustíveis e químicos da indústria da borracha


Os implantes mamários da marca Poly Implant Prothèse (PIP) têm, na sua composição, elementos químicos prejudiciais para a saúde, utilizados em combustíveis e na indústria da borracha, segundo noticia a estação de rádio italiana RTL. Basylone, Silopren e Rhodorsil são as substâncias usadas, sem que tenham sido feitos ensaios clínicos.
Um elemento químico usado na composição de combustíveis, nunca testado, foi detetado nos implantes da PIP, que se tornaram mediáticos em virtude da morte de uma mulher, em virtude da colocação de silicone desta marca.
Segundo revela agora a rádio RTL, as próteses PIP contêm um aditivo prejudicial para a saúde, que não foi alvo de nenhum ensaio clínico que ateste que não acarreta qualquer risco para a saúde. Este é mais um elemento na longa polémica desta marca de implantes mamários.
Recorde-se que o caso dos implantes da PIP foi suscitado em França, onde a morte de uma mulher foi associada ao silicone desta marca. O Governo francês emitiu um comunicado a aconselhar as 30 mil mulheres francesas que colocaram implantes mamários da PIP a proceder à remoção, “a título preventivo e sem qualquer caráter de urgência”.
O titular da pasta da Saúde, Xavier Bertrand, adverte que o silicone não é o indicado para aquele tipo de cirurgia (é industrial, contém produtos tóxicos e potencialmente mortais e apresenta um risco muito superior de rutura). Entre os potenciais perigos estão riscos de cancro, de rompimento e inflamações.
As mulheres que foram sujeitas a esta intervenção cirúrgica devem também, segundo o ministro da Saúde, “consultar o médico e cirurgião” responsáveis pelo processo. É também recomendada a realização de “exames clínicos e radiológicos”, com caráter preventivo.
No entanto, entretanto foi emitido um parecer do Instituto Nacional do Cancro, que nega que existam “riscos acrescidos de cancro” devido a este tipo de silicone.
As autoridades de saúde já detetaram oito cancros: cinco na mama, um linfoma raro no seio, um linfoma na amígdala de uma paciente e ainda uma leucemia. Nos últimos 18 meses, já foram retiradas cerca de 530 próteses da PIP.
http://www.ptjornal.com/201201024673/saude/implantes-pip-tem-aditivos-de-combustiveis-e-quimicos-da-industria-da-borracha.html