sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Angústia de quem tem fome


- 31-Aug-2009 - 12:23

«Foram-me deixados resíduos metálicos na coluna lombar», diz Fernando Cunha

Notícias Lusófonas

Fernando Cunha, cidadão português residente em São Domingos de Rana, Cascais (Portugal), beneficiário da segurança social 121749582000, conta-nos, na primeira pessoa, o seu drama. Optamos pela transcriação ipsis verbis do seu relato, acreditando que também ela ajuda a perceber os contornos do caso.

«Após um esforço fisico e mau jeito na coluna lombar fiz uma hérnia discal em L4 L5 tendo ficado sem andar e urinar internado na clinica da seguradora para extracção da referida hérnia algo que correu menos bem no bloco operatório.

Foram-me deixados resíduos metálicos na coluna lombar e oprimido um nervo onde perdi a sensibilidade nos Finterss.

Fiz oito intervenções cirúgicas para corrigir o erro mas sem qualquer sucesso ou exito onde fiquei um doente com incontinência anal Segurança social depois de uma baixa médica prolongada por esta doença deu-me incapacidade total para minha profissão reforma-me por invalidez atribui pensão mas só poderia começar a receber quando o total a receber prefizesse o capital que tinha recebido da seguradora cerca de quarenta meses sem receber.

Entidade patronal seguradora do acidente de trabalho, Fidelidade Mundial, baseando-se na pensão atribuída pelo contrato colectivo de trabalho atribui um complemento de pensão no valor de 312 euros mensais como complemento de pensão que somando com a pensão da S. Social prefazia ordenado que estava a receber na data do acidente.

Perante esta situação receber 312 euros mensais tomei a decisão de vender tudo que levei uma vida a construir vendi casa carro tudo com dinheiro conseguido emigrei para brasil unico lugar que podia sobreviver por 40 meses e com a pensão que estava a receber.

Oito meses depois de estar a viver no Brasil a segurança social vem em carta dizer que cometeu uma ilegalidade ao reformar-me que não tinha direito á pensão que ao abrigo da lei 100/97 era a seguradora entidade patronal a responsavel pelo pagamento da pensão.

Contactei um escritório de advogados em Cascais para colocar uma acção em tribunal tudo acertado contrato procuração feita com devido pagamento efectuado.

Mais tarde vim a descobrir que nada fez que se limitou a ficar com o dinheiro mais de mil euros apresentei queixa na ordem dos advogados processo instaurado mas nunca me foi devolvido o dinheiro nem me quiseram ajudar ordem dos advogados foi a primeira entidade a me negar qualquer apoio mesmo nesta situação.

Comissão dos Direitos Humanos da ordem dos advogados seu responsável me ofereceu como prenda de natal nomeação de um advogado por esta comissão só que depois também me bateu com a porta quando aceitei e procurei esta ajuda.

Fiquei sem dinheiro a viver na pobreza consulado português no Brasil faz meu repatriamento para Portugal.

Depois da minha chegada governo coloca acção de penhora para reaver dinheiro da passagem
Entidade patronal diz que é a segurança social que tem que pagar a pensão que o erro é deles.

S. Social diz que que é a entidade patronal
Ando neste jogo do empurra á cinco anos a passar fome porque com 312 euros mensais não se vive sobrevive na minha casa á muitos anos que não entra um bife alimento-me de batatas cosidas de sopa de batata de como de um animal se tratasse não sei que é por exemplo entrar em uma qualquer pastelaria beber um café e comer um bolo.

Sem dinheiro sem conhecer advogado sério honesto para resolver meu caso estas duas entidades agem desta forma comigo,

Pedi à S.Social uma pensão social para não passar tantas dificuldades nunca recebi resposta.

Circula pelos blogs pela internet um pedido meu solicitando às pessoas que sejam elas enviar meu caso ao governo á segurança social quem sabe oipinião publica tenha força para ajudar resolver meu caso.

Não tenho direito apoio social nem pensão social para não passar fome mas um individuo que nunca tenha feito descontos para segurança social pode ter uma pensão social.

Esta politica social dificil de entender.

A Fidelidade Mundial diz está a ter para comigo alguma compreensão benevolência me ameaçando com aquilo que poderei dizer para opinião publica se esquecendo que fiquei inválido deficiente ao seu serviço para receber uma esmola como pagamento mais grave foi por um erro de um profissional de saude ao seu serviço que me deixou nesta complicada situação nem precisa ser um grande técnico para chegar a esta conclusão basta fazer exame uma ressonancia e no relatório vem escrito residuos metalicos na coluna lombar ou o lixo que foi deixado na coluna lombar não é por si só já um erro.

É um empresa pública com capitais públicos caso para também perguntar se estes gestores públicos nomeados pelo governo não tem também uma politica social para cumprir.»

Imagem: http://alemmarpeixevoador.blogspot.com/