domingo, 13 de setembro de 2009

C.G. JUNG. Alguns pensamentos



Abaixo transcrevemos alguns pensamentos de C.G.Jung, publicados no jornal SONHOS:

Acho que meus pensamentos giram em torno de Deus como os planetas em torno do Sol, e são da mesma forma irresistivelmente atraídos por ele. Eu me sentiria como o maior pecador querer opor uma resistência a esta força. (...) compreendi que Deus - pelo menos para mim - era uma das experiências mais imediatas. C.G.Jung, "Memórias, Sonhos, Reflexões"; ed. Nova Fronteira.

O fiel não pode contestar o fato de que há "somnia a Deo missa"(sonhos enviados por Deus) e iluminações da alma impossíveis de serem remetidas a causas externas. Seria uma blasfêmia afirmar que Deus pode se manifestar em toda a parte, menos na alma humana; C.G.Jung, "Psicologia e Alquimia"; ed. Vozes.

Tratando-se de um estado subjetivo, cuja existência não pode ser legitimada por nenhum critério exterior, nenhuma tentativa posterior de descrição e explicação será bem sucedida, pois só quem fez tal experiência poderá compreender e testemunhar tal realidade. A "felicidade", por exemplo, é uma realidade importante e não há quem não a deseje; no entanto, não há qualquer critério objetivo para testemunhar a existência indubitável dessa realidade. Assim, justamente nas coisas mais importantes é que devemos contentar-nos com nosso julgamento subjetivo. C.G.Jung; "Psicologia e Alquimia"; ed. Vozes.

Faço meus pacientes entenderem que tudo o que lhes acontece contra a vontade deles é fruto de uma vontade superior. (...) Deus nada mais é do que essa força superior em nossa vida; C.G.Jung; "Entrevistas e Encontros"; ed. Cultrix.

Tudo o que aprendi levou-me, passo a passo, a uma inabalável convicção sobre a existência de Deus. Eu só acredito naquilo que sei. E isso elimina a crença. Portanto, não baseio a Sua existência na crença ... eu sei (grifo original) que Ele existe; C.G.Jung, "Entrevistas e Encontros"; ed. Cultrix.

O homem necessita de uma vida simbólica ... Mas não temos vida simbólica ... Acaso vocês dispõem de um canto em algum lugar de suas casas onde realizam ritos, como acontece na Índia? Mesmo as casas mais simples daquele país têm pelo menos um canto fechado por uma cortina no qual os membros da família podem viver a vida simbólica, podem fazer seus novos votos ou meditar. Nós não temos isso ... Não temos tempo, nem lugar ... Só a vida simbólica pode exprimir a necessidade do espírito - a necessidade diária do espírito, não se esqueçam! E como não dispõem disso, as pessoas jamais podem libertar-se desse moinho - dessa vida angustiante, esmagadora e banal em que as pessoas são "nada senão"; C.G.Jung; citado em "Ego e Arquétipo"; ed. Cultrix.

Os sonhos fornecem informações extremamente interessantes a quem se empenhar em compreender o seu simbolismo. O resultado, é verdade, pouco tem a ver com preocupações mundanas como comprar e vender. Mas o sentido da vida não é explicado pelos negócios que se fez, assim como os desejos profundos do coração não são satisfeitos por uma conta bancária; C.G.Jung; citado em "O caminho dos sonhos", Marie-Louise von Franz; ed. Cultrix.

"Nenhuma circunstância exterior substitui a experiência interna. E é só à luz dos acontecimentos internos que entendo a mim mesmo. São eles que constituem a singularidade de minha vida". C.G.Jung, "Entrevistas e Encontros"; ed. Cultrix.

"...nos esquecemos do fato milenar de que Deus nos fala sobretudo através de sonhos...". C.G. Jung; "O Homem e seus Símbolos"; ed. Nova Fronteira.

"Os sonhos algumas vezes podem revelar certas situações muito antes de elas realmente acontecerem". C.G.Jung, "Entrevistas e Encontros"; ed. Cultrix.

(desculpem, não sei qual é o URL deste texto)
Imagem: http://alemmarpeixevoador.blogspot.com/