Por favor salvem esta menina. Apelo de Viana. Angola. Filha de 5 anos de idade que acerca de 2 anos está doente com Neoplasia Vesical (um tumor maligno na zona genital). O pouco que cada um pode dar já é muito para quem precisa, não precisamos ter muito para ajudar. Se cada um de nós depositar um pouco podemos ajudar a salvar a vida dessa menina. Quem puder ajudar pode depositar na conta: 000005001760033 ou IBAN A006.0034.0000.0500.1760.0334.1 de Lidia Manuel no banco Millenium

quinta-feira, 10 de março de 2011

Médicos não costumam alertar seus pacientes que estão acima do peso


Segundo uma nova pesquisa, muitas pessoas que estão com sobrepeso ou são obesas não percebem ou fato ou o negam. Pior do que isso, são poucos os médicos que alertam seus pacientes sobre seu peso.

Os pesquisadores analisaram dados de cerca de 5.500 pessoas entre 2005 e 2008. Um terço dos participantes obesos e 55% dos participantes com sobrepeso nunca ouviram de um médico que eles estavam acima do peso.

Segundo os pesquisadores, os médicos podem ser relutantes em abordar o peso de seus pacientes por uma série de razões. Por exemplo, os médicos ocupados podem não querer adicionar outro tema à sua lista de coisas a discutir durante uma consulta. E muitos médicos têm atitudes negativas em relação a seus pacientes mais gordos, que eles vêem como pouco prováveis a aderir a um programa de dieta e exercício.

E isso pode de fato se tornar um problema muito maior. Os pesquisadores não se surpreenderam pela alta porcentagem de pessoas obesas que pensavam que seu peso era normal.

Essa é inclusive uma reação da sociedade. Nos EUA, por exemplo, cerca de dois terços dos adultos estão acima do peso ou são obesos. Conforme os americanos se tornam mais gordos, a percepção do que constitui um peso normal também muda.

Na verdade, a maioria dos participantes do estudo estimou com precisão seu índice de massa corporal (IMC). Mas muitos não viram o seu peso como insalubre ou reconheceram a necessidade de perder alguns quilos.

Pode não parecer, mas conversar com o médico sobre isso é muito importante. Quando um médico faz comentários sobre o peso do paciente, isso surte um efeito positivo e corrige a sua percepção.

Quase 20% das pessoas obesas cujos médicos não tinham conversado sobre seu peso se descreveram como “sem excesso de peso”, em comparação com apenas 3% das pessoas cujos médicos haviam comentado seu peso.

Também, os pacientes obesos e com sobrepeso que haviam discutido o assunto com seus médicos eram duas vezes mais propensos a tentar perder peso.

Embora possa parecer óbvio que o excesso de peso não é saudável, ser lembrado disto por um médico pode ser um alerta. Estudos têm mostrado que os fumantes cujos médicos os lembram de quão ruim é o hábito e os incentivam a largar são mais propensos a fazê-lo com sucesso.

Por que não fazer o mesmo com a obesidade? Os pesquisadores acreditam que a obesidade é algo a ser combatido da mesma forma que é combatido hoje o tabagismo. Introduzir o peso no quadro de um paciente em cada visita, como é feito com a pressão arterial e outros sinais vitais, por exemplo, faria toda a diferença. Se fosse algo necessário ou fortemente sugerido, não seria muito oneroso, e surtiria um efeito enorme na saúde da população. [CNN]

http://hypescience.com/medicos-nao-costumam-alertar-seus-pacientes-que-estao-acima-do-peso/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed:+feedburner/xgpv+(HypeScience)

Hypescience