quinta-feira, 20 de outubro de 2011

O indiscutível que contraria os discursos oficiais do combate à pobreza


Depois de um dia de muita discussão e reflexão volto ao António. Lembram-se dele? O tal menino na pediatria do Lubango de que vos falei há tempos? Para os mais versados em questões de nutrição nesta foto se percebe claramente que padece de má nutrição severa. Ando há anos a chamar a atenção para este problema da nutrição das nossas crianças mas há quem se vire contra mim por fazê-lo e sou mesmo acusado por alguns de ser agitador por falar nisso. Esses que me acusam que fiquem então a saber que no caso da Huíla existem nesta província cerca de 393,502 crianças com menos de 5 anos, 5,9% destas ou 23,216 crianças sofrem de má nutrição severa como o António. Para além dos que estão severamente mal nutridos junte-se mais 35.6% ou seja mais 140,086 crianças que sofrem de má nutrição crónica e dos seus efeitos irreversíveis note-se, trata-se da segunda taxa mais alta de má nutrição crónica nas crianças em todo o país. Estou neste caso a falar apenas da Huíla, também podemos falar de outras províncias pois o problema é geral. E já agora os dados são do Ministério da Saúde para que não pensem que ando a inventar coisas...
João Stattmiller. Facebook