segunda-feira, 2 de abril de 2012

Durante os turnos nocturnos. Maus-tratos aos doentes internados no Hospital Geral de Mavalane


– denunciam utentes vítimas da grosseria dos enfermeiros e serventes

Maputo (Canalmoz) – Os utentes do Hospital Geral de Mavalane, em Maputo, queixam-se de maus-tratos perpetrados por serventes e enfermeiros em serviço no período nocturno. Localizado no bairro de Mavalane, nas proximidades do Ministério da Agricultura, o hospital assiste, sobretudo, pessoas que residem nos bairros da Maxaquene, Polana Caniço, Hulene, Laulane e Aeroporto.
João Fernando, residente no bairro de Hulene, é uma de tantas pessoas que já se deslocaram ao Hospital Mavalane, à noite. Conta que o que se assiste naquela unidade sanitária é desolador. No período nocturno – diz ele – é triste um doente dirigir-se à Mavalane.
Diz já ter “perdido um familiar” naquela unidade sanitária devido a “brincadeiras de serventes que não o quiseram atender logo”.
Aida Manhiça, residente no bairro do Aeroporto “A”, disse à Reportagem do Canalmoz quando estivemos a efectuar este trabalho naquela unidade sanitária, que “deslocar-se a Mavalane no período nocturno sem dinheiro é muito arriscado porque os serventes e enfermeiros se não estiverem a entreter-se com as telenovelas, estão a conversar e cada um a atender assuntos particulares”.
“Quem chega com dinheiro não sofre. O atendimento é excelente. Já testemunhei o caso de alguém que apareceu com problemas de dores depois de um aborto mal sucedido. Tirou 300 meticais e teve um tratamento especial”, conta a senhora Aida Manhiça.

Directora de Saúde defende seus subordinados

Na unidade sanitária não foi possível colher a reacção da direcção do hospital. Já é assim há anos. Todos os dirigentes daquela unidade hospitalar foram impedidos de falar à Imprensa. Para todas as questões que os jornalistas pretendam obter esclarecimentos das unidades sanitárias, são conduzidas aos organismos da respectiva hierarquia do Ministério da Saúde. Por isso, o Canalmoz foi ouvir a directora de Saúde da cidade de Maputo sobre o mau atendimento no Mavalane.
A directora de Saúde da cidade de Maputo, Páscoa Wate, saiu em defensa dos seus subordinados, ou pelo menos parte deles, mas admitiu que as queixas dos utentes já chegaram à direcção de Saúde. “Nem todos os trabalhadores de Saúde atendem mal os doentes”, disse para depois confirmar já ter recebido queixas sobre este hospital a que também diz que já deu seguimento.
“Com as vossas críticas podemos melhorar os serviços de saúde. Um dos comités de saúde mais activo na cidade de Maputo está no distrito onde se localiza o hospital de Mavalane. Sempre que alguém tiver mau atendimento, deve informar ao comité de saúde”, disse.
O facto é que pelas queixas dos utentes daquela unidade sanitária, quer não divergem muito das outras unidades, para se ser tratado com alguma atenção, não basta pagar-se apenas o que está tabelado pelo Estado, é preciso pagar por fora. (Cláudio Saúte)
Imagem: Hospital Geral de Mavalane
blogger-index.com