sexta-feira, 13 de abril de 2012

Parlamento marginaliza assuntos da saúde da mulher e criança. – conclui um estudo levado a cabo em Maputo


Maputo (Canalmoz) – Há um elevado nível de desinteresse por parte dos parlamentares em abordar assuntos relacionados com questões de saúde da mulher e criança no país. Segundo o mesmo estudo, o desinteresse nessas matérias nota-se também na comunicação social e nos partidos políticos.
O estudo foi conduzido na província de Maputo pelo Centro de Aprendizagem e Capacitação da Sociedade Civil (CESC) em parceria com o Mecanismo de Apoio à Sociedade Civil (MASC), cuja amostra foi de apenas 32 pessoas entre parlamentares, técnicos da comunicação social e a sociedade civil bem como técnicos de saúde.
O estudo serviu como piloto sobre a responsabilização democrática nos Serviços de Saúde da Mulher e Criança e foi apresentado ontem em Maputo.
Para Augusto Sixpence – pesquisador do Centro de Aprendizagem e Capacitação da Sociedade Civil (CESC), que apresentou os resultados do estudo – ficou evidente que as pessoas não se têm preocupado tanto com as questões de saúde a não ser quando a sua saúde está em jogo. O estudo recomenda a necessidade de os partidos políticos debaterem estas questões relacionadas com a saúde, com o governo.
A fonte disse que nesta fase piloto o estudo foi implementado na província de Maputo, mas posteriormente será alargado a todo o país. (António Frades)
Imagem: Parlamento de Moçambique aprovou constituição da Ordem dos Contabilistas e ...
clubofmozambique.com