segunda-feira, 16 de abril de 2012

Moçambique. Na povoação de Massaca, distrito de Boane. Quinze pessoas morrem por mês devido a falta de médicos


Maputo (Canalmoz)- Uma média de quinze doentes padecendo de HIV-SIDA, malária, gripes diarreias e outras doenças, morrem mensalmente, no povoado de Massaca, distrito de Boane, província de Maputo. A falta de cuidados médicos é apontado pelas autoridades sanitárias locais, como uma das principais causas das mortes. Em Massaca, vivem perto de 9 mil habitantes.
Vasco Pondza, enfermeiro-chefe, no Centro de Saúde de Massaca, disse que do rol das enfermidades, o HIV-Sida é que provoca mais vítimas mortais.
“Por mês morrem entre 10 a 15 pessoas devido a várias doenças na aldeia de Massaca. As doenças mais frequentes são o reumatismo, HIV-SIDA, malária, gripes, diarreias”, disse o enfermeiro.
Sobre a malária, o enfermeiro chefe disse que é mais frequente a partir de Dezembro. Muita gente passeia ou vai passar férias fora de Massaca e quando voltam trazem consigo a doença. Afirmou que, de Janeiro a esta parte foram registados 238 casos de malária.
Falando acerca de doenças diarreicas, Pondza disse que sempre atingem o seu pico no período chuvoso devido ao saneamento do meio. Aliás, que falta água potável em Massaca não é novidade. Para se sobreviver, fazem-se longas caminhadas até à barragem dos Pequenos Libombos, sob o permanente risco de servir de dieta alimentar para os crocodilos.
Falta de água e o perigo dos crocodilos
Uma residente em Massaca, contou ao Canalmoz que as chuvas que caíram em Janeiro passado, destruíram a ponte e danificaram a tubagem de água. Assim, caminha-se cinco ou seis quilómetros para alcançar um furo privado onde o bidão custa um metical. Mas como, a energia na zona do furo oscila com frequência e não tem qualidade é normal passar um mês sem a bomba funcionar.
“Neste momento, tiramos água na barragem. Desafiamos os crocodilos. A bomba pública está avariada há dois meses”, disse
Entretanto, Vasco disse que “quando chove temos brigadas de activistas que trabalham distribuindo cloro. Os números não têm sido tão assustadores”, disse afirmando que as gripes são originadas por poeiras e mudanças climáticas. (Cláudio Saúte)
Imagem: Charge: médicos X planos de saúde
blogdotarso.com