Luanda, 13 de Abril 2014. A câmara de gás continua! Há 9 dias e noites que o banco millennium nos gaseia. SOS UNICEF, CRIANÇAS NA MORTE! O monstro gerador do banco millennium, na rua rei Katyavala, mata com o fumo e o barulho. Dormir não! Pobres crianças, e idosos, que precocemente morrerão cancerosos, vítimas do neocolonialismo. Este petróleo por onde passa deixa um cortejo de cadáveres. Quem promove tumultos, o descalabro social e manifestações de rua? Quem é?! E o terreno foi espoliado.

terça-feira, 9 de Agosto de 2011

Presos na Comarca de Luanda são Tratados Pior que Cães


O Novo Jornal conversou com vários presos, alguns dos quais não quiseram identificar-se por receio de represálias. Um deles disse que contraiu tuberculose na cadeia.
“Isto aqui é um inferno, somos tratados pior que cães. A cela em que estou tem mais de 35 pessoas, não há casa de banho, a comida mistura-se com fezes de ratos e baratas, os presos doentes com tuberculose e sida estão junto com os demais. Eu entrei bem na cadeia, sem doenças, hoje estou a morrer aos poucos, porque contraí uma tuberculose e não estou a receber tratamento”, relata.
O jovem, de 23 anos, encontra-se na Cadeia da Comarca de Luanda há sete meses. “Tive uma briga com um amigo, quando a polícia chegou levou-me”, lembra em jeito de explicação.
Segundo o jovem, na Comarca Central de Luanda falta de tudo: médicos, enfermeiros, remédios, sabonetes, comida e água. E dignidade.
O jovem denuncia os maus-tratos e abusos que têm sofrido dentro da cadeia quando não querem fazer a vontade dos agentes dos serviços prisionais. Entre as denúncias está também a cobrança de dinheiro dentro da cadeia aos presos mais novos pelos mais antigos.
Uma outra fonte que falou ao NJ e que está preso há seis anos disse que a superlotação na Comarca Central de Luanda é um problema antigo. “Eu sou o chefe, mando em todos na caserna. Há aqueles presos que quando chega um novo querem bater, mas eu não permito. Aconselho a todos que devemos respeitar os outros, porque não é nada fácil estar aqui, principalmente os miúdos que, às vezes, ficam sem saber como se defender”.
Questionado sobre a idade do preso mais jovem da cela, responde que tem 16 anos e há muitos nestas condições na Comarca de Luanda.
NJ
ANGOLA24HORAS

Sem comentários:

Enviar um comentário