terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Dia do médico. Luís Filipe Borges


Oi! Luís Filipe!
Hoje é dia do médico, o seu, o nosso dia. Muito reconhecidamente me recordo que se ainda vivo, devo-o aos seus ensinamentos de como preservar a vida. «É importante dormir e fazer exercício físico» E assim ainda me movo contente, por continuar vivo. Sei que prolongo a vida por mais alguns anos mas, o fim chegará inevitável. E decerto nesses últimos momentos as minhas despedidas do mundo dos vivos também serão para si.

Como gostaria de ficar uma eternidade a falar consigo… eu sei, não dá. Tem muitos mais doentes na lista de espera confiantes que no seu humanismo, sim esse seu humanismo, essa sua dedicação ao outro, ao paciente que faz com que a doença se vá, que as melhoras sejam rápidas, desejadas.

É sobretudo pelo teu humanismo médico que jamais te esquecerei. E duvido muito que os outros humanos doentes – afinal o ser humano não passa de um pobre doente permanente – não rejubilem por tal médico ter nascido, conquistado os corações e o mundo.

É por tudo isso que aqui estou a lembrar-te, a tornar-te imortal, inesquecível, porque o mereces. Luís Filipe! Por incrível que pareça estou sempre ao teu lado, sempre fiel, a dar-te ânimo, perseverança.

Luís Filipe Borges, és um Médico, és um Homem e o mundo sabe-o, rende-se.

Que sejas muito feliz e nunca vaciles perante a adversidade. Sobretudo finge que confias nos charlatães, nos hipócritas, nos idiotas e similares.

Muito obrigado Luís Filipe Borges.