sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Dioxina, um alerta


Há pouco tempo, os países europeus entraram em pânico, especialmente a Bélgica que descobriu em seus alimentos, principalmente os derivados do leite, traços de uma perigosíssima substância, a dioxina.

http://www.gpca.com.br/gil/art96.htm

A dioxina é hoje considerada a mais violenta substância criada pelo homem; seu grau de periculosidade, segundo alguns autores que escrevem a respeito dela, ultrapassa até o urânio e o plutônio.

Se moléculas de cloro, estejam onde estiverem, são submetidas à altas temperaturas, em presença de matéria orgânica, algum tipo de dioxina irá ser gerado. Algum tipo, visto que a dioxina é membro de uma numerosa família que atinge a 200 membros, onde se incluem os furanos, igualmente periculosos.

Entre os males causados pela dioxina no homem podemos citar o extermínio das defesas orgânicas (comparado à AIDS), o surgimento de vários tipos de câncer e a teratogenia, isto é, a propriedade de geração de crianças deformadas (falta de nariz, lábios leporinos, olhos cíclopes, ausência de cérebro etc.).

As dioxinas compuseram para os americanos, na guerra do Vietnan, violenta arma química denominada desfolhante laranja.

Em Seveso, na Itália, em 1976, uma nuvem desse produto dizimou 50 mil animais e fez com que o Vaticano autorizasse mais de dois mil abortos humanos. Pouco tempo depois, uma cidade na Alemanha, Rostatt, foi obrigada a remover todo o seu solo impregnado com esse produto, advindo de um alívio de pressão de uma caldeira de uma fábrica de hexaclorofeno. O hexaclorofeno, devido à pressão e a temperatura da caldeira, liberou dois quilogramas de 2,3,7,8 tetracloro- dibenzo-para-dioxina (TCDD), em forma de nuvem que pairou por quatro dias sobre a cidade. O produto é um tipo de dioxina, considerada a mais violenta substância até hoje criada pela ação do homem.

Mas, como, normalmente, aparece a dioxina? Basicamente, na queima de produtos que contém cloro. O PVC, por exemplo, nosso velho conhecido, é inofensivo em si; todavia, a sua queima irá gerar dioxina, além do que, para esse produto, haverá a liberação de ácido cianídrico, poderoso tóxico.

Muitos países da Europa (Japão também) julgavam que a queima de seus lixos era a solução tecnicamente perfeita para se desfazerem das montanhas de lixo doméstico existentes e constantemente geradas. Julgava-se que dioxinas e furanos pudessem ser destruídos a 800oC e pretendia-se, só na Alemanha, construir-se 200 mega incineradores para dar conta de 800 toneladas de lixo por dia, em cada incinerador. Todavia, descobriu-se que no resfriamento dos gases de combustão, em determinada faixa de temperatura, lá estavam, de novo, dioxinas e furanos.

As dioxinas e furanos têm grande afinidade pelas gorduras ou pelos alimentos que contém gorduras (lingüiças, queijos, leites, manteigas, carnes...). Caindo nas pastagens, ela passa às gorduras dos animais e daí para o alimento que o homem irá ingerir.

Devido a fortes pressões das comunidades esclarecidas, as grandes usinas incineradoras de lixo doméstico existentes no Primeiro Mundo tendem a ser desativadas,.a menos de rigoroso controle do que será incinerado e de caríssimos tratamentos dos gases evoluídos. Só esperamos que elas não sejam vendidas para nós, com a mesma finalidade.

Um outro grande gerador de dioxina é a produção do papel branco. O cloro é largamente utilizado para o branqueamento da celulose, matéria prima para a produção do papel.

Gil Portugal