SOS MATANÇA no banco millennium Angola do forno crematório nazi. Correr e fechar portas e janelas porque vem aí terríveis toneladas de fumo do gerador da morte horrível da engenharia criminosa dos tugas que tudo fazem para nos exterminarem para que consigam empregos. As crianças bebés morrem cancerosas dos pulmões porque o ordens superiores o ordenou. Em Luanda sem matar não se pode facturar. Os tugas têm que nos matar em todos os apartamentos nos gasear. É na rua rei Katyavala em frente à Angop

terça-feira, 21 de Julho de 2009

Ministério da Saúde de Angola


Ministério da Saúde de Angola (1)
O ministro da Saúde de Angola, José Van-Dúnem, a estas horas não saberá o que fazer, depois da morte de mais um cidadão a quem foi igualmente negada assistência médica de urgência no mesmo hospital em que tal aconteceu com a Mingota.

SEMANÁRIO ANGOLENSE

Desta vez, foi uma criança, a quem os médicos em serviço não assistiram de imediato, por estarem «cansados e com fome», conforme alegaram. E isto apenas alguns dias depois de ter prometido que tal não voltaria acontecer, não só no «Américo Boavida», como nos demais hospitais públicos. O tiro saiu-lhe pela culatra. Mais grave ainda é o facto da pessoa a quem passou a confiar os destinos do HaB ter demonstrado uma incivilidade de bradar aos céus, a ponto de desafiar os familiares da vítima a irem queixar-se onde quisessem. E agora, Sr. ministro? Também a vai demitir apenas ou irá colocar o seu próprio cargo à disposição? Num país a sério, seria o mais lógico…


Ministério da Saúde de Angola (2)
Como já dizíamos, Carlos Mariano, no fundo, no fundo, teria sido um mero bode expiatório para uma situação que foi reflexo do caos em que se encontra o sistema nacional de saúde, cujas culpas têm de ser buscadas muito acima de si. A sua demissão da direcção do hospital Américo Boavida, como resultado do «caso Mingota», mostra-se agora como uma espécie de camuflagem para os reais problemas em que estão mergulhados os hospitais públicos, cuja dimensão nos é dada a ver agora com uma frequência inusitada, talvez porque antes fossem simplesmente ignorados, sem o destaque que a imprensa nacional passou a dedicar-lhes nos dias correntes. Ao invés de estar a acompanhar o alegado desenvolvimento que o país tem registado, parece que o sector da saúde regrediu uns 20 anos. De resto, quando se chega ao cúmulo de pacientes serem violadas, só pode ser o caos. Está demais!

Imagem: http://perdidoeachado.blogspot.com/2008_03_01_archive.html

1 comentário:

  1. EM PORTUGAL-LISBOA
    DOENTE SOBRE RSPOSABILIDADE MINISTERIO DA SAUDE DE ANGOLA CORREM RISCO DE MORREM DE FOME. POIS JA QUASE UM MES QUE SÃO MAL ALIMENTADOS. PENSÃO ONDE SE ENCONTRAM HOSPEDADOS RECLAMA FALTA DE PAGAMENTO DESDE 2010- COMO RETALHAÇÃO SENHORIO ORDENOU O CORTE DE ALIMENTAÇÃO AOS DOENTES QUEM AI ESTÃO. PARA ALEM DESTA O MAIS CERTO EXISTE BRAÇO DE FERRO ENTRE MINIST.SAUDE SOBRE PAGAMENTOS, DESCONFIA-SE EM SUB FACTURAÇÃO DE TERCEIRO QUANDO AO CUSTO DOS VALORES COBRADOS POR PESSOA QUE É EXORBITANTE. SOCORRO SOCORRO SOCORRO AJUDEM FAÇAM ALGO SOS SOS SOS SOS SOS

    ResponderEliminar