sábado, 25 de julho de 2009

Um minuto contra o cancro do pulmão




Oncologistas espanhóis organizam um certame sobre as vantagens de deixar o tabaco.

EL MUNDO

MADRID.- Deixar de fumar num minuto. Ainda que abandonar o hábito pode custar algo mais, esse é o tempo que tinham os participantes num curso de curtas-metragens para alertar das consequências negativas do tabaco e da sua relação com o cancro do pulmão. O concurso já tem vencedores.

O Grupo Espanhol do Cancro do Pulmão (GECP) e o laboratório Pierre Fabre foram os organizadores do I Concurso 'Deixa de Fumar Já: um minuto contra o cancro do pulmão', um certame de curtas-metragens especialmente dirigido aos jovens.

'Consomes ou te consomes', uma imagem de um homem que calada a calada se vai convertendo em cinza, do jovem castelhano-leonês Pablo Alonso González, foi contemplado com o prémio do Jurado valorado em 3.500 euros. O comité de peritos, composto por representantes do GECP, Pierre Fabre e de Josep Maixens, director da Escola de Cine e Audiovisuais da Catalunha, considerou que se trata de um trabalho "didáctico que mostra de maneira gráfica os efeitos deste hábito".

Nas palavras do seu director, o curto "realiza uma metáfora em torno da ideia do consumo de tabaco como desgaste e extinção, já que te consome por dentro e por fora". Pablo Alonso González, que actualmente estuda cine em Roma (Itália), também destaca as possibilidades do formato para transmitir uma mensagem impactante. "Ao durar um minuto, o trabalho encontra-se entre a curta-metragem e o spot publicitário, pelo que era necessário agudizar a capacidade criativa e conjugar técnicas de publicidade e televisão junto a uma mensagem pedagógica".

Com respeito às motivações que lhe levaram a participar no concurso, destaca, entre elas, a sua condição de não fumador. "À minha volta todos fumam: a minha noiva, os meus pais, amigos, e eu sempre estou intentando convencê-los para que não o façam".

O eleito pelos internautas

Por sua parte, a curta-metragem 'Absurdo', que aporta com humor mais de 50 razões para deixar de fumar, dois costa-riquenhos Federico Lang e Gastón Sáez, foi contemplado com o prémio do público, dotado com 1.000 euros de prémio, graças às votações dos internautas, que lhe concederam 1.075 votos. Federico Lang, de 22 anos, estudou cine e televisão na Universidade Veritas da Costa Rica e actualmente encontra-se em Espanha cursando um máster na Escola de Cine de Madrid (ECAM).

Precisamente foi através desta entidade como se inteirou do concurso e avisou ao seu companheiro, Gastón Sáenz, que estuda Produção Audiovisual na Costa Rica "para que lhe ajudasse a buscar uma ideia original com a que participar". Segundo explica Lang, "não queríamos transmitir uma mensagem estereotipada e dramática, senão algo que de maneira contundente afirmasse que fumar, na realidade, é absurdo".

Para os criadores de 'Absurdo' a promoção do vídeo em redes sociais e Internet foi fundamental para ganhar o prémio do público. "Fomos muito activos no facebook, Hi5, MSN, Gmail e fóruns de Internet", explicou Lang.

Fumadores cada vez mais jovens
A ideia do concurso tem que ver com a descida na idade média de diagnóstico do cancro do pulmão pela aquisição cada vez mais cedo do hábito tabagista e que cada vez preocupa mais os especialistas. Através da web www.cortosdejadefumarya.com, o GECP recebeu mais de 70 curtas-metragens de um minuto com diferentes visões e propostas.

"Houve visões muito criativas", explica o doutor Carlos Camps, membro deste grupo de oncologistas especializados no tratamento de tumores pulmonares. "Os participantes destacaram os efeitos que o tabaco produz no organismo, outros, muitos, realizaram paralelismos directos do tabaco com a morte, ou sobre a possibilidade de eleição do fumador como acabar com o hábito".

Ademais dos vencedores, o Jurado seleccionou 13 curtas-metragens e concedeu duas menções especiais. Estes trabalhos serão utilizados pelo GECP para a consciencialização sobre a enfermidade e o hábito tabagista em colégios e institutos. "A maioria dos participantes são jovens. Por isso conhecem, melhor que ninguém, a linguagem e a maneira de captar a atenção dos adolescentes e por isso, acreditamos que estes vídeos ajudarão a lutar contra a enfermidade", explica o doutor Camps.

Imagens: Bryan Lee Curtis, 33 anos, aparentemente saudável, em 29/Março/1999
Bryan Lee Curtis, 2 meses depois, em 03/06/99, no dia da sua morte, causada pelo cancro no pulmão!