domingo, 15 de novembro de 2009

Cuidar bem dos dentes ajuda a evitar doenças cardíacas


Marcelo Gigliotti, JORNAL DO BRASIL

RIO - Da boca ao coração há um caminho que pode ter duas direções: saúde ou doença. O cuidado com os dentes é fundamental para se evitar problemas cardíacos. Pessoas que têm cáries ou sofrem de problemas como infecções na gengiva e periodontite – uma inflamação que destrói tecidos e suportes dos dentes – são mais suscetíveis a ter infartes ou derrames. O alerta é do Instituto Nacional de Cardiologia (INC), que funciona em Laranjeiras, no Rio. Aliás, domingo é o Dia Mundial da Saúde Bucal.

– A boca tem cerca de 500 mil espécies de bactérias. Se não é feita uma boa higiene bucal, as bactérias podem se proliferar, gerar uma doença periodontal e acabar entrando na corrente sanguínea. Como consequência, podem se alojar no coração e provocar problemas cardíacos – diz Paulo Moreira da Silva Filho, chefe do setor de odontologia do INC, com mestrado em cardiologia pela UFF e doutorando no assunto pela Fiocruz.

Vulneráveis
Segundo o especialista, as pessoas mais vulneráveis são as que têm o problema conhecido como sopro no coração – uma disfunção nas válvulas do músculo cardíaco. Nestes casos, o risco de uma infecção no coração, a endocardite, é maior.

No instituto, diz o especialista, todos os pacientes que têm que se submeter a cirurgias cardíacas passam primeiro pela cadeira do dentista, para eliminar eventuais focos de bactérias. Mas os cuidados continuam após o tratamento dentário e a cirurgia.

Isto ocorre por que pacientes que passam por cirurgias da válvula cardíaca e a repõem por válvulas mecânicas, têm que tomar remédios anticoagulantes por toda vida.

– Se o paciente voltar a ter doenças periodontais o remédio faz menos efeito. Se houver tratamento dentário, é possível até reduzir a dosagem do anticoagulante.

Segundo o especialista do INC, há também uma relação entre a doença periodontal e o diabetes, que é um grande fator de risco para doenças cardiovasculares.

– Já foi demonstrado que com o tratamento da doença periodontal, o controle do açúcar no sangue é facilitado.

De acordo com Paulo Moreira, a infecção na gengiva muitas vezes é silenciosa e só é descoberta por especialistas em periodontia.

Ele diz que, para se precaver destes problemas, a melhor arma é a escova de dentes e o fio dental.

– É recomendável escovar os dentes pelo menos duas vezes por dia, de 12 em 12 horas, de manhã e à noite. E o fio dental pode ser usado uma vez por dia, antes de deitar. Dormir com a boca limpa é fundamental, pois durante o sono, o volume de saliva cai, o que reduz suas propriedades autolimpantes. Outra recomendação é ir ao dentista duas vezes por ano – diz o especialista.

18:59 - 24/10/2009