terça-feira, 3 de novembro de 2009

Mau uso do ar-condicionado compromete a saúde


Mirian Ribeiro

Na hora de dormir deve-se baixar a temperatura ou não utilizar o aparelho
Nesta época de intenso calor, o ar-condicionado é quase um item indispensável para garantir conforto e um ambiente agradável no trabalho e em casa, mas para que o aparelho não ofereça risco à saúde é necessário usá-lo de forma correta e fazer manutenção constante.

http://www.jornaldaorla.com.br/noticias_integra.asp?cd_noticia=1877

Valer lembrar que as doenças respiratórias, que ocorrem com mais intensidade nos períodos de frio, também têm grande incidência no verão e entre os problemas que podem ser desenvolvidos ou intensificados estão as rinites, asmas, sinusites e até infecções respiratórias.

Para quem possui aparelho de ar-condicionado, a recomendação do médico alergista Manuel Florêncio de Paula, da Secretaria Municipal de Saúde, é providenciar a limpeza por meio de um técnico especializado sempre no início do verão. “O ideal é retirar o aparelho da parede e realizar a limpeza interna. Isto é importante porque ele fica durante o inverno sem utilidade”. Ele também alerta para a necessidade da limpeza semanal do filtro de ar, devido ao grande acúmulo de impurezas.

Além da higiene, o médico destaca a importância do uso do aparelho sem abuso, mantendo-o freqüentemente em temperaturas razoáveis. “Durante a madrugada, a temperatura cai, por isso na hora de dormir deve-se baixar a temperatura ou não utilizar o aparelho”. Outra recomendação está em deixar uma bacia de água no local onde o condicionador de ar estiver ligado para o umedecimento do ambiente. “O ar seco pode piorar o funcionamento do sistema respiratório.”

Temperatura ideal
Expor o corpo repetidas vezes ao ar-condicionado, entrando e saindo de ambientes refrigerados ou permanecendo por muito tempo neles, pode deixar o organismo mais suscetível a gripes e resfriados. Isso ocorre porque o ar resseca o muco protetor que reveste as mucosas das vias aéreas, tornando-as vulneráveis. Segundo o médico Rafael Stelmach, da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia, a palavra de ordem é prevenção.

“O ideal é que a temperatura esteja entre 20º e 22ºC. Abaixo disso, o individuo precisará de agasalhos, o que gera um desconforto, particularmente no trabalho. Outra coisa é que o ar frio favorece a proliferação de vírus que causam os resfriados e as gripes. Portanto, a primeira atenção é com o clima no ambiente.”

Partículas e bactérias à solta
Os grandes vilões do ar-condicionado são os fungos, as bactérias e os ácaros que se acumulam no aparelho e se proliferam no ar. Eles podem invadir as vias aéreas, criando lesões inflamatórias ou infecciosas. “Independente de existir a alergia, a exposição aos elementos desencadeadores, como ácaros, fungos, mofo, poeira de local fechado e bactérias, gera maior sensibilidade e, por conseqüência, o desenvolvimento de sintomas alérgicos”, explica Rafael. Somente a manutenção periódica e a limpeza podem evitar a proliferação destas bactérias.