domingo, 1 de novembro de 2009

Campanha alerta brasilienses sobre prevenção contra o AVC


Kelly Oliveira, Agência Brasil JB ONLINE

BRASÍLIA - Os frequentadores do Parque da Cidade, em Brasília, tiveram hoje (31) um motivo a mais para ir ao local. O Dia Mundial do Acidente Vascular Cerebral – 26 de outubro – foi lembrado, das 8h às 13h, no parque.

Com o tema Conheça o AVC, quem passou por lá pode medir o colesterol, a glicemia e a circunferência abdominal, além de fazer exames para verificação de doença cardíaca, com emissão de laudos por médico e aferição de pressão arterial.

Segundo a Secretaria de Saúde do Distrito Federal, cerca de 30% dos doentes que sofrem um AVC morrem no primeiro ano e 30% ficam com sequelas graves ou incapacitantes.

Conhecido popularmente conhecido como “derrame”, o AVC é decorrente da insuficiência de fluxo sangüíneo em uma determinada área do cérebro, que pode provocar lesão ou morte celular e danos nas funções neurológicas, segundo a Secretaria de Saúde do DF. O AVC pode ser isquêmico, quando provocado pela obstrução de vasos sanguíneos, ou hemorrágico, quando provocado pela ruptura do vaso.

A secretaria informa ainda que o sintomas mais frequentes são dor de cabeça forte, vômito, fraqueza, dormência, paralisia, perda súbita da fala e da visão ou dificuldade para se comunicar e enxergar.

Segundo o presidente da Sociedade de Cardiologia do Distrito Federal, Daniel França Vasconcelos, a principal causa de mortalidade no mundo ocidental são as doenças cardiovasculares. Ele explicou que a hipertensão é o principal fator de risco quando se trata de AVC. O tabagismo, a diabetes, o colesterol alto e o sedentarismo também podem levar a um AVC. Homens e idosos também estão no grupo de risco, diz Vasconcelos.

- Esse evento tem o objetivo de conscientizar a população sobre a importância de olhar a saúde. É necessário que as pessoas verifiquem se estão enquadradas dentro desse grupo de risco - disse Vasconcelos.

Entre as cerca de mil pessoas que devem aproveitar o evento para fazer exames está a aposentada Marinalva Rodrigues Dias.

- Aproveitar para cuidar da saúde é importante, principalmente eu que já tenho 61 anos - disse Marinalva.

O economista Hélio Augusto Azevedo, 60 anos, disse que faz exames anualmente, mas decidiu reforçar os cuidados com a saúde.

- Vim pedalar hoje no parque e me convidaram para fazer exame e vou aproveitar - afirmou.

15:50 - 31/10/2009