quarta-feira, 20 de maio de 2009

Como cuidar dos seus olhos (6)


por Donald Patten, M.D. - traduzido por HowStuffWorks Brasil

Você corre maior risco de ter glaucoma se:

tem diabetes
teve uma lesão anterior nos olhos
tem um histórico familiar de glaucoma
tem sido um usuário de drogas corticosteróides por um longo período
Pessoas com alto risco devem fazer um exame pelo menos a cada 2 anos. Outros devem ser examinados a cada 3 ou 5 anos.

Quando é detectado cedo, o glaucoma normalmente pode ser controlado com colírios, que às vezes causam efeitos colaterais como sonolência, visão embaçada, dores de cabeça ou alterações na freqüência cardíaca. A cirurgia a laser pode ser feita quando os medicamentos não funcionam bem, mas um estudo feito em 1996 concluiu que a cirurgia a laser, como terapia de primeira linha, funciona tão bem quanto os colírios e tem menos efeitos colaterais. Contudo, o efeito da cirurgia a laser pode se desgastar com o tempo e ser necessário um tratamento adicional.

Miopia

Quando o globo ocular é muito longo da parte da frente à parte traseira ou a córnea é muito curva, o resultado pode ser a miopia, também conhecida como vista curta. Pessoas com miopia podem ver claramente os objetos que estão perto, porém os objetos distantes parecem embaçados. Na visão normal, a imagem de um objeto distante é focalizada na retina, porém na visão com miopia, devido ao maior comprimento do globo ocular, a imagem focalizada cai antes da retina. O resultado: uma imagem confusa.

2006 Publications International, Ltd.
Óculos ou lentes de contato corrigem facilmente a miopia

A miopia tende a ser hereditária, desenvolvendo-se por volta dos 12 anos de idade e progredindo até perto dos 20 anos. Raramente a condição piora depois dos 30 anos e, na verdade, às vezes melhora após essa idade.

Os óculos ou lentes de contato corrigem facilmente a miopia. Pessoas que não querem se aborrecer com nenhum desses dispositivos para os olhos podem considerar a realização de ceratotomia radial. Esse é um procedimento cirúrgico que envolve fazer vários cortes radiais na superfície da córnea, alterando assim o formato da córnea e corrigindo o problema.

Em 1994, oftalmologistas publicaram o primeiro estudo de longo prazo sobre a ceratotomia radial, com recursos do Instituto Nacional de Olhos americano. Os resultados mostraram que 70% das pessoas que fizeram ceratotomia radial não precisavam usar lentes corretivas 10 anos após a cirurgia.

A ceratotomia radial não funciona para todo mundo e há riscos, tais como ficar com uma má visão para ler ou visão noturna ruim. Os melhores candidatos para o procedimento são pessoas com miopia apenas leve. Qualquer um que esteja considerando fazer a cirurgia, deve discutir todos os resultados esperados e as possíveis complicações com um oftalmologista. Está disponível também um procedimento novo, chamado de ceratotomia fotorrefrativa.

Felizmente a maioria dos problemas nos olhos são apenas temporários e se resolvem com o tratamento apropriado. Para mais informações sobre condições oculares temporárias, vá para a próxima seção.

Condições que afetam os olhos temporariamente
Às vezes, nem os melhores esforços preventivos conseguem interromper um problema que está surgindo. A seguir, alguns dos problemas oculares mais comuns, como identificá-los, como lidar com eles e como impedir que voltem.

Blefarite

A blefarite é uma inflamação das margens das pálpebras, que causa vermelhidão e espessamento. Podem também aparecer escamas, crostas ou úlceras rasas (áreas de erosão). A doença é comum, especialmente em crianças, e com freqüência afeta as pálpebras superiores e inferiores dos dois olhos. Há dois tipos: ulcerosas e não ulcerosas. A infecção dos folículos dos cílios e glândulas oleosas causa a blefarite ulcerosa. A variedade não ulcerosa, que é mais comum, pode ser causada por uma alergia ou dermatite seborréica, que é uma descamação inflamatória do couro cabeludo, sobrancelhas e orelhas. Piolhos também podem às vezes causar o tipo não ulceroso.

2006 Publications International, Ltd.
Uma alergia à maquiagem pode causar blefarite

Os sintomas de blefarite incluem:
coceira, queimação, olhos com as bordas vermelhas
pálpebras inchadas
perda de sobrancelhas
irritação da parte interna da pálpebra (como se houvesse areia ou sujeira por dentro)
Os olhos podem lacrimejar e ficar sensíveis à luz. Na blefarite ulcerosa, as crostas duras e secas que se formam deixam a superfície sangrando quando são removidas. Na blefarite não ulcerosa, aparecem escamas gordurosas que são facilmente removidas nas margens das pálpebras.

http://saude.hsw.uol.com.br/como-cuidar-dos-seus-olhos4.htm