domingo, 31 de maio de 2009

Medicina nos Anos Dois Mil (6)


Por Manuel Luciano da Silva, Médico

Para compreendermos como é que o CAT scan e o MRI funcionam, basta comparamos o nosso corpo a um pão de forma. O raio X vulgar tira uma fotografia vulgar do pão. O CAT scan corta o pão em fatias e diz- nos se há uvas passas ou pedaços de carne dentro do pão. Mas o MRI corta o pão em fatias, e fornece-nos mais pormenores específicos: distingue se os pedaços de carne são de chouriço ou de galinha!

Devemos relembrar que tanto o CAT como o MRI dependem do método da angiografia (contraste) descoberta feita pelo Professor Egas Moniz em 1926.

Doenças cardíacas
Todos nós sabemos que na América as doenças cardíacas (cardiovasculares) são a causa número um da mortalidade e que os cancros são a causa número dois. Mas devemos notar que há cem anos a medicina só curava quatro por cento dos cancros e hoje cura sessenta e quatro por cento. Vamos a ver se nos próximos cem anos a medicina domina os 36 por cento que faltam curar.

No que diz respeito a tratamento das doenças cardíacas o avanço da medicina também tem sido extraordinário, não só no controle da tensão arterial, mas também no controle do colesterol. Quando o Presidente Roosevelt morreu em 1945, não havia nada para controlar a hipertensão. Hoje a medicina tem ao seu dispor centenas de medicamentos para tratar a tensão arterial, o colesterol, o açúcar e as águas (diuréticos).

Outro avanço impressionante tem sido a cirurgia cardíaca, com o uso da angioplastia, cirurgia das coronárias e medicação anti-coagulante. Mas o nosso coração é igual a um motor dum automóvel. Tem quatro cilindros, quatro válvulas e uma bateria. Quando se morre de repente é porque ouve um falhanço da bateria, isto é, houve um desarranjo no sistema eléctrico do coração. Para controlar estas castátrofes a ciência médica descobriu já o "pacemaker", assim como o desfibrilador eléctrico do coração, para fazer ressuscitar o coração que parou de repente. Mas o que realmente é preciso conseguir no próximo século é descobrir um medicamento que evite para sempre os falhanços eléctricos da nossa bateria e antecipar o meio milhão de ataques cardíacos mortais que acontecem anualmente nos Estados Unidos.

Transplantações de órgãos
Uma das conquistas deveras impressionantes e dramáticas têm sido as transplantações de órgãos tais como rins, fígado, pulmões, pâncreas, medula óssea e até corações. Antevejo que no próximo século este capítulo se vai ainda desenvolver mais, não só, por meio de produtos sintéticos (próteses como joelhos e ancas artificiais), mas também com órgãos clonados do próprio indivíduo ou de outros mamíferos! Certamente o tecido embrionário e até o cordão umbilical terão uma função muito importante a contribuir.

Doenças mentais
Uma das grandes victórias da psicofarmocologia foi a descoberta dos medicamentos anti-depressivos e anti-ansiedade. Os sanatórios para as doenças mentais praticamente desapareceram na América. Mas a Século XXI ainda tem à sua frente os desafios das doenças Alzheimer, Lou Gehrig e Parkinson. Ainda falta conquistar também o tratamento para uma vida normal dos indivíduos que sofrem de esquizofrenia.

Os meus prognósticos para o Século XXI
O século XIX foi o Século da Química. O Século XX distingui-se pela Física e o Século XXI será pela Biologia Genética. Por isso para mim, que já estudo medicina, há mais de meio século, as fronteiras mais importantes da medicina futura, vão ser as pesquisas genéticas e moleculares

Foi em 1953 que os Dr. James Watson e Dr. Francis Crick anunciaram terem descoberto a composição da unidade da vida, ou seja o DNA ou "Desoxyribo Nuclei Acid". Este tem uma estrutura de uma hélice dupla com apenas quatro amino ácidos – adenina, timina, guanina e citosina – mas dispostos numa sequência própria a qual determina as características genéticas quer seja duma bactéria, que seja dum astronauta.

Eu comparo a DNA a um tijolo.Com tijolos nós podemos construir uma casa, uma catedral, umas escadas, uma ponte, um banco, um estádio, etc. Pois com o DNA a Natureza constrói bactérias, árvores, couves, erva, flores, peixes, pulgas, cães, gatos, vacas, porcos, elefantes, leões e homens e mulheres. Fenomenal!

Tenho a impressão que os cientistas no próximo século vão "brincar" com o DNA e fazer também bonecos!

Mas a parte mais fascinante para mim vai ser a pesquisa dos segredos dos cromossomas e dos genes ou o desvendar do Gerómio Humano. Ainda há poucas semanas os cientistas revelaram ao mundo que descobriram toda a composição do cromossoma vinte e dois e disseram que daqui a dois anos conseguirão desvendar toda a composição arquitetónica dos 46 cromossomas humanos e muitos milhares de genes. Tudo isto quer dizer que a ciência médica será capaz de prognosticar, de adivinhar as doenças que cada indivíduo está sujeito a contrair, para assim se precaver e fazer tratamento profilático antes de se tornar uma vítima dessa doença. Com estas pesquisas certamente as doenças hereditárias serão muito mais bem compreendidas e portanto poderão ser tratadas por meio da engenharia genética.

Imagem: Dr. Jenner a dar a primeira vacina no mundo!
Vacina vem de vaca