sábado, 23 de maio de 2009

O médico renasce, refaz a vida


O MÉDICO

Vê confiarem-lhe a vida

Lida dia a dia com a morte

Mas quando encontra saída

É por saber e é por sorte!


Bata branca a auscultar

A Voz grave e pausada

Não sei se por muito fumar

Diz ao outro: Fumar, nada!


Visão primeira do reanimado

E também do recém-nascido

Porém a última sombra do finado


Que pelo facto de ter morrido

Torna-lhe o dia por frustrado

E fá-lo no futuro prevenido.

http://sol.sapo.pt/blogs/poemas/archive/2008/05/29/O- M_C900_DICO.aspx