quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Facebook: Imagem de mulher a amamentar deu expulsão seguida de readmissão


A história é simples: Leslie Power Labbe, uma psicóloga clínica de Santiago do Chile, tinha colocado como imagem de perfil no Facebook uma fotografia sua a amamentar o filho. Quando a rede social soube disto apagou-lhe o perfil. Mas o caso provocou tanta polémica que o Facebook voltou atrás.

Susana Almeida Ribeiro http://www.publico.pt/

Leslie exerce há mais de 14 anos como psicóloga clínica e é perita em desenvolvimento infantil

Tudo começou no dia 31 de Janeiro, quando a chilena recebeu um e-mail do Facebook dizendo que a sua fotografia era considerada ofensiva e que violava as condições de uso de imagens da empresa. “Eles mandaram-me uma notificação, na qual me informavam que a conta tinha sido encerrada por ter uma fotografia que atentava contra indivíduos e grupos e que o Facebook zela por aquilo que está dentro do seu domínio”, explicou Leslie Power Labbe ao “La Tercera”.

A política do Facebook no que toca à eliminação de contas indica expressamente que serão submetidas a ela todos os perfis que sejam denunciados como infractores da política de conduta estabelecida.

As condições de uso da rede social proíbem o upload de imagens consideradas obscenas e pornográficas. No tópico Termos e Condições (no fundo da página, à direita) pode ler-se, no ponto 3, que os utilizadores não poderão publicar conteúdo que “incite ao ódio, ameaçador, pornográfico, que incite à violência ou que contenha nudez ou violência gráfica ou gratuita”.

“Fotos que contêm um peito completamente exposto, por exemplo, violam esses termos (sobre material obsceno, pornográfico ou sexualmente explícito) e devem ser retiradas”, avisou a rede social na nota enviada à chilena.

O que não se percebe é porque é que o Facebook considerou que uma cena de aleitamento, com um peito parcialmente exposto, é considerada uma cena de nudez.

Prontamente, a jovem reenviou um e-mail para o Facebook argumentando que usava o perfil do Facebook para o seu trabalho. “A minha conta não é pessoal. Publicava aí notícias e investigações relacionadas com as neurociências e com o aleitamento”, disse ao “La Tercera”.

Leslie exerce há mais de 14 anos como psicóloga clínica e é perita em desenvolvimento infantil.

Os argumentos de Leslie parecem ter surtido efeito. Apesar de o Facebook não a ter contactado novamente nem ter explicado porque decidiu reabrir a conta, o que é certo é que a chilena voltou hoje a ter Facebook, noticiou a rádio chilena Bio-Bio.