Por favor salvem esta menina. Apelo de Viana. Angola. Filha de 5 anos de idade que acerca de 2 anos está doente com Neoplasia Vesical (um tumor maligno na zona genital). O pouco que cada um pode dar já é muito para quem precisa, não precisamos ter muito para ajudar. Se cada um de nós depositar um pouco podemos ajudar a salvar a vida dessa menina. Quem puder ajudar pode depositar na conta: 000005001760033 ou IBAN A006.0034.0000.0500.1760.0334.1 de Lidia Manuel no banco Millenium

terça-feira, 26 de junho de 2012

Estudante inventa banho sem água


Esta é mais uma história de um adolescente tendo ideias, mas neste caso, a ideia já está sendo comercializada em sachês.
Ludwick Marishane, 22 anos, estudante da Universidade da Cidade do Cabo, na África do Sul, está comercializando o DryBath, um gel que, segundo ele, mata germes, hidrata a pele, e libera um cheiro agradável. Além de economizar água.
A inspiração para o produto veio de sua adolescência no interior, mais especificamente de um amigo que, como todo bom adolescente, não gostava de tomar banho. Ludwick estava incomodando o amigo para que ele tomasse banho, e o amigo reclamou “por que ninguém inventa uma coisa que a gente passe na pele e não precise tomar banho?”
A proverbial lâmpada ligou na cabeça de Ludwick que, usando o celular (ele não tinha computador para navegar na internet) acessou o Google e a Wikipedia para descobrir que ainda não existia um produto deste tipo. Logo começou a investigar a composição de um gel que poderia ser utilizado para esse fim.
Os orientadores de Ludwick apontaram a ele que as pessoas mais pobres costumam comprar as coisas em unidades, e não em pacotes, assim ele resolveu usar o sachê que “contém” um banho. O sachê individual é vendido a US$0,50 (R$1,00) em comunidades pobres e com acesso limitado a água potável, e a US$1,50 (R$3,00) para clientes corporativos como empresas de transporte aéreo e hotéis.
Com a sua invenção e sua empresa, a HeadBoy, Ludwick ganhou o primeiro prêmio do Global Students Entrepreneur Awards (“prêmio global para o estudante empreendedor”, em tradução livre) de 2011. Ele agora espera que sua empresa se torne líder em fornecimento deste tipo de produto para as regiões pobres do planeta.[LiveScience]