terça-feira, 2 de março de 2010

Fumantes colocam entes queridos em risco de ataques cardíacos


Pesquisadores de universidades londrinas mediram, duas vezes, a exposição de homens não-fumantes à fumaça de tabaco. A segunda medição foi feita 20 anos depois da primeira.

As medições feitas entre 1978-1980 mostraram que 73% dos homens possuíam altos níveis de nicotina no sangue. Já entre 1998-2000, a porcentagem caiu consideravelmente, para 17%.

Os homens que viviam com alguém que fumava, ou seja, eram fumantes passivos, no entanto, continuaram a apresentar altos níveis de nicotina na segunda medição (nível acima de 0,7 nanograma por mililitro – pode parecer pouco, mas já causa um aumento de 40% em riscos de ataques do coração).

A Dra. Bárbara Jefferis, condutora dos estudos, diz que, dos dados, pode-se concluir que o hábito de fumar em público realmente diminuiu com o passar dos anos. As pessoas estão menos expostas. “Mas podemos perceber, também, que, claramente, viver com um fumante pode colocar alguém em uma posição de risco. Se queremos diminuir a exposição de não-fumantes ao tabaco, precisamos nos esforçar para que as pessoas parem de fumar, também, em casa” declara Jefferis.

“Não podemos obrigar as pessoas a pararem de fumar em suas próprias casas, mas podemos alertar os fumantes sobre o que estão fazendo a seus entes queridos. Fazê-lospensar em seus amigos e parentes antes de acender um cigarro” conclui a médica.

A comunidade científica, depois da pesquisa, está tentando aprovar projetos que ponham fim a displays de venda de cigarros e a máquinas automáticas que vendem o produto (as últimas podem “facilitar a vida” de fumantes menores de idade). [Science Daily]

http://hypescience.com/fumantes-colocam-entes-queridos-em-risco-de-ataques-cardiacos/

HYPESCIENCE