quarta-feira, 31 de março de 2010

A insistente maldição da eléctrica escuridão marxista-leninista que nos perpetua


Eles dançam diabolicamente com tumbas andantes carregados, desesperados. Sem energia eléctrica… parece que existiu um país que chamavam Angola. Eis a vitória da miséria extrema, total e completa. Destruir é o seu fundamento, a sua génese, a sua vil existência. Governam-nos segundo a vontade dos deuses deles. Asfixiar-nos é o seu fundamento, porque ainda existem algumas sobras para destruir.

Há um desejo incontido, um TERROR epidémico, de liquidar o que ainda move Angola… as pequenas empresas.

Decidimos o nosso futuro, o vosso também. Promovemos, governamo-vos a insegurança porque no nosso poder não existe população, subsiste a eterna, a extrema dominação dos Macacos australis, Australopithecus.

Imagem: microsintonias.blogspot.com/