Por favor salvem esta menina. Apelo de Viana. Angola. Filha de 5 anos de idade que acerca de 2 anos está doente com Neoplasia Vesical (um tumor maligno na zona genital). O pouco que cada um pode dar já é muito para quem precisa, não precisamos ter muito para ajudar. Se cada um de nós depositar um pouco podemos ajudar a salvar a vida dessa menina. Quem puder ajudar pode depositar na conta: 000005001760033 ou IBAN A006.0034.0000.0500.1760.0334.1 de Lidia Manuel no banco Millenium

terça-feira, 8 de maio de 2012

Cápsulas com pó de carne humana são encontradas na Coreia do Sul


A polícia coreana apreendeu cápsulas com pó de carne humana em Daejeon, na Coreia do Sul. As cápsulas vindas da China são produzidas a partir de bebés mortos devido à suposta propriedade medicinal do material. Testes constataram que havia carne humana nas cápsulas.
Ninguém foi preso já que a quantidade de cápsulas era pequena para um flagrante e não havia, aparentemente, intenção de venda do material. As pessoas que carregavam as cápsulas negaram saber que o pó continha carne humana e afirmaram que pensavam que as cápsulas continham vitaminas.
Segundo um comunicado oficial da alfândega coreana, os étnicos coreanos, que vieram do norte da China e hoje moram na Coreia do Sul, têm a intenção de usar eles próprios as cápsulas ou dividir com outros conterrâneos chino-coreanos. O material chega ao país escondido em bagagens e também por correio.
A Coreia do Sul tem intensificado o contrabando destas cápsulas vindas da China. Desde Agosto de 2011, a alfândega coreana já travou 35 tentativas de entrada no país das cápsulas - ao todo, 17.450 cápsulas foram encontradas nesse período, a maioria escondida em enchimentos falsos de bagagens e bolsas.
Uma denúncia feita pela televisão sul-coreana SBS, acusou empresas farmacêuticas da China de colaborarem com clínicas para aborto para produzir essas cápsulas.
Ainda segundo a polícia da Coreia do Sul, as cápsulas costumam chegar de cidades a norte da China, como Yanji, Jilin, Qingdao e Tianjin.
http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=571630