quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Saber comer dá saúde e faz crescer


Educar é uma palavra de ouro no que toca à alimentação. Catarina Figueira assistiu a um workshop onde os miúdos aprendem a comer de forma a evitar obesidades futuras.

http://timeout.sapo.pt/news.asp?id_news=6241

Gelados, abóbora, bolachas, espinafres, uvas, pizzas, ananás. A nutricionista Catarina Andrade vai mostrando um exemplar em plástico de cada um destes alimentos e os miúdos dizem quais é que podem ser ingeridos todos os dias e aqueles que levam o rótulo “só em dias de festa”.

Na teoria eles até podem saber o que é que faz bem e o que pode ser prejudicial à saúde, mas é preciso garantir que na prática fazem as opções correctas. E foi com esta ideia em mente que Paula Cascais, proprietária do restaurante vegetariano Bem Me Quer, decidiu lançar um workshop de nutricionismo para crianças, 12 anos depois de abrir o espaço na Avenida Almirante Reis.

“Quantas peças de legumes vocês acham que devem comer por dia?” As respostas oscilam entre uma (dos miúdos mais gulosos, adivinha-se) e cinco, a resposta certa. As crianças vão debitando os nomes das frutas e dos legumes que conhecem, enquanto a nutricionista relembra que deitar cedo e cedo erguer dá saúde e faz crescer, que é mau passar muitas horas seguidas em frente ao computador, e que é importante que eles se mexam, “a não ser que estejam na escola, a dormir ou a comer”, porque aí o caso já muda de figura.

De olhos fechados, eles adivinham a composição das espetadinhas de fruta, sentem o cheiro da hortelã a entrar pelas narinas, experimentam na ponta dos dedos a rugosidade de algo que nunca tinham visto lá em casa, como o chuchu.

A primeira parte do workshop é, assim, uma espécie de consulta de nutricionismo para principiantes. Para evitar que daqui a uns anos eles cheguem ao médico com queixas à séria. A segunda parte é passada na cozinha. Antes de meterem as mãos na massa, nunca é demais relembrar duas regras básicas: lavar as mãos e pôr na cabeça o chapelinho de mini-chefs de cozinha. Em cima da bancada estão vários pratinhos com porções de cenoura, rúcula, alface, agrião, beterraba, ervilhas, feijão, guacamole e puré de cogumelos para cada criança fazer o seu wrap personalizado.

Quando se fala de sopa a primeira reacção dos miúdos é torcer o nariz. “A sopa tem muitas vitaminas e minerais, que são nutrientes. Os nutrientes são uma espécie de tijolos, que vão construindo o nosso organismo.” Dito assim, eles até percebem que se querem ser fortes têm de comer sopa.

E esparguete de beterraba, alguém já provou? Do ralador vão saindo longos fios arroxeados aos quais a criançada se atira como se de esparguete à bolonhesa se tratasse. O mesmo se passa com as ervilhas. Primeiro ninguém quer. Mas a dona do Bem Me Quer está habituada a dar a volta aos cépticos dos vegetais. Distribui as bolinhas verdes por copinhos e chama-lhes “shot de ervilhas”. Os miúdos fazem fila para experimentar. Às vezes o segredo é falar dos alimentos com imaginação.

No final do workshop, e para ter a certeza que eles vão com a lição bem estudada, há exercícios para resolver em conjunto. A roda dos alimentos está estrategicamente colocada em cima da mesa e serve de consulta ao longo da hora e meia em que os mais pequenos aprendem a comer de forma saudável. E comer bem não significa riscar o chocolate e as batatas fritas das nossas vidas. Apenas saber quando fechar a boca.

O curso MINIchef decorre todos os sábados, às 15.00, no restaurante Bem Me Quer (Av Almirante Reis, 152). Custa 15€ e dura 90 minutos. Marcações: 21 847 6678.