sexta-feira, 14 de setembro de 2012

No Centro de Saúde de Bagamoyo. Metade dos seropositivos abandona tratamento


Maputo (Canalmoz) - Educadores de pares do Centro de Saúde de Bagamoyo, cidade de Maputo, estão a levar a cabo a campanha de sensibilização nas famílias de modo a que os portadores do vírus de HIV/SIDA adiram e permaneçam no tratamento antiretroviral como deve ser. É que, de acordo com a representante de educadores de pares de Centro de Saúde de Bagamoyo, Isaltina Isabel, mais da metade de seropositivos abandonou o tratamento após saber do seu estado positivo e aberto o processo para levantamento dos comprimidos.
Mesmo assim, o centro de saúde em causa por dia chega a atender mais de 80 pacientes de seroprevalência de entre eles jovens e adultos na maioria em estado grave. “Temos pacientes aqui no centro de saúde que não aderem ao tratamento. Mas temos também um número considerado dos que assume a doença e aceita fazer tratamento”, disse.

Famílias não assumem doença

Isabel referiu que muita das vezes alguns pacientes são enganados pelos seus familiares, alegando não constituir verdade o resultado do diagnóstico e impedindo nesse sentido com que o paciente tome o medicamento de modo a reduzir a reacção do bicho “HIV”. “Abandonam o tratamento, e quando voltam já se encontra no estado grave”, disse.
Como consequência disto, o paciente acaba tendo recaída, e a partir desse momento se não tiver atendimento urgente acaba perdendo a vida e, segundo disse, para alguns começam a manifestar um conjunto de doenças oportunistas. “O centro de saúde marca data de controlo, mas o paciente não aparece. Nós temos irmãos, parentes que estão a perecer, por isso a sensibilização deve ser feita com seriedade para a adesão de tratamento”, explicou a fonte.
Isabel recomenda que a alimentação é um dos factores que deve ser observado na dieta dos que perecem do vírus portador de SIDA. Para o caso não devem alimentar-se de comidas com muito amendoim e óleo. (Arcénia Nhacuahe)
Imagem:  cncs.org.mz