quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Taxa de mortalidade infantil em Angola "é alarmante" e "difícil de explicar"




Lisboa - A taxa de mortalidade infantil em Angola "é quase três vezes mais alta do que os níveis registados nos países em desenvolvimento", alerta hoje a organização não-governamental Médicos sem Fronteiras, que diz ser "difícil de explicar" esta situação "num país em paz que tem tantos recursos".
Fonte: Publico Club-k.net
Um estudo realizado pela MSF entre Janeiro e Abril deste ano na província de Lunda Norte mostra que a taxa de mortalidade entre os menores de cinco anos de idade é de 2,8 mortos por dia para cada dez mil crianças. A malária é responsável por mais de metade destas mortes.
"É alarmente. A falta de cuidados médicos em locais como Xa-Muteba [onde se centrou o estudo, na província de Lunda Norte] é difícil de explicar para um país em paz que tem tantos recursos", acusou Hernan Del Valle em conferência de imprensa, em Joanesburgo.
A MSF constatou "poucas melhorias" desde o final da guerra civil em Angola em termos de assistência médica. "No terreno, não víamos medicamentos a chegar, não víamos pessoal de saúde a chegar", lamentou Hernan Del Valle.
Durante o conflito morreram mais de 500 mil pessoas e várias doenças tornaram-se endémicas no país africano, como a malária e a cólera. Angola é o segundo maior produtor de petróleo na África subsariana, só suplantada pela Nigéria.