Por favor salvem esta menina. Apelo de Viana. Angola. Filha de 5 anos de idade que acerca de 2 anos está doente com Neoplasia Vesical (um tumor maligno na zona genital). O pouco que cada um pode dar já é muito para quem precisa, não precisamos ter muito para ajudar. Se cada um de nós depositar um pouco podemos ajudar a salvar a vida dessa menina. Quem puder ajudar pode depositar na conta: 000005001760033 ou IBAN A006.0034.0000.0500.1760.0334.1 de Lidia Manuel no banco Millenium

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Porque algumas pessoas são sonâmbulas?


O sonambulismo ainda não é bem compreendido pelos cientistas. O que é fato é que as pessoas são capazes de realizar várias atividades dormindo: das mais simples, como andar e sentar na cama, até as mais bizarras, como limpar a casa e até fazer sexo.
Geralmente, o ato não é perigoso. Mas dependendo do que a pessoa resolve fazer, e para aonde ela vai (por exemplo, para fora de casa), pode se tornar perigoso. O sonâmbulo não se lembra do que fez. Pode ser muito difícil acordá-lo durante um transe (mas isso não põe em risco sua vida, como alguns mitos sugerem), e se a pessoa acordar em sua cama no dia seguinte, pode nem ter ideia de que levantou dela. Se acordar em outro lugar, certamente acordará confusa.
Possíveis causas
Os distúrbios do sono, como o sonambulismo, normalmente surgem quando os sistemas fisiológicos normais estão ativos em momentos inapropriados – como durante o sono.
Como já dissemos, isso ainda não é bem compreendido porque os cientistas ainda não entendem totalmente como o cérebro comanda os músculos durante certas fases do sono. Por outro lado, eles sabem que esses comandos são normalmente suprimidos por outros mecanismos neurológicos enquanto dormimos.
“Às vezes, esta supressão pode ser incompleta, devido a fatores genéticos ou ambientais, ou imaturidade física, e ações que normalmente ocorrem durante o período acordado surgem durante o sono”, sugere o neurologista Antonio Oliviero, do Hospital Nacional de Paraplégicos de Toledo, na Espanha.
Cerca de 10 a 15% de nós já sofreu de sonambulismo em algum momento de nossas vidas, provavelmente quando éramos crianças. O fenômeno é igualmente comum em homens e mulheres.
Mas, como o sonambulismo ocorre mais frequentemente durante a infância, Oliviero sugere que isso pode ter a ver com o fato de que elas passam mais tempo na fase de “sono profundo”. A atividade física só acontece durante o movimento dos olhos não rápidos (NREM) no ciclo de sono profundo, que precede o estado de sonho do sono, o REM.
Sendo assim, o neurologista propõe que um possível mecanismo fisiológico subjacente ao sonambulismo seja o ácido gama-aminobutírico (GABA), que age como um inibidor que sufoca a atividade do sistema motor do cérebro. Em crianças, os neurônios que liberam esse neurotransmissor ainda estão em desenvolvimento e não estabeleceram definitivamente uma rede de conexões para manter a atividade motora sob controle. Como resultado, elas têm quantidades insuficientes de GABA, deixando seus neurônios motores capazes de comandar os movimentos do corpo mesmo durante o sono. Em algumas crianças, este sistema inibitório pode permanecer subdesenvolvido e persistir na vida adulta.
Além disso, Oliviero diz que o sonambulismo deve ter um componente genético, já que pode ser herdado. Gêmeos idênticos, por exemplo, geralmente compartilham este hábito noturno.
Além da genética, vários estudos mostraram que o sonambulismo pode estar associado com a privação do sono, febre, estresse e ingestão de drogas, especialmente sedativos, hipnóticos, estimulantes, antipsicóticos e anti-histamínicos.
Condições médicas como arritmias (ritmos cardíacos anormais), febre, refluxo gastroesofágico, asma noturna, convulsões noturnas, apneia obstrutiva do sono (condição em que a respiração para temporariamente durante o sono) e transtornos psiquiátricos, como transtorno de estresse pós-traumático, ataques de pânico, estados dissociativos (tais como distúrbio de personalidade múltipla) também podem estar relacionados com o sonambulismo.
Há quem diga que os altos e baixos hormonais da puberdade, a gravidez e até mesmo o período de menstruação também aumentam as chances de sonambulismo.
Tratamento
Se o sonambulismo não estiver lhe causando nenhum problema e só acontecer ocasionalmente, nada precisa ser feito.
Se lhe incomoda ou está lhe atrapalhando de alguma forma, você precisa descobrir a sua causa. Se o sonambulismo for desencadeado por álcool, reduza a ingestão e tente não beber após as 10 da noite.
Se você está dormindo mal ou pouco, ou anda estressado, precisa lidar com esses problemas para o sonambulismo parar.
Consulte o seu médico sobre técnicas de gerenciamento de estresse, aconselhamento e exercícios de relaxamento.
Algumas terapias complementares que lhe ensinam a controlar várias funções do corpo, além de hipnose, também têm sido bem sucedidas para sonâmbulos. E se a causa de seu sonambulismo for relacionada a outras condições médicas, você precisa tratá-las para se livrar de levantar durante a noite.
Como último recurso, converse com seu médico a respeito de drogas como as benzodiazepinas, que podem tratar o sonambulismo ao relaxar os músculos e evitar o movimento durante o sono.[ScientificanAmerican, Infideas, Buzzle, WebMD]