quinta-feira, 15 de outubro de 2009

A mulher e o crime. PITIGRILLI disse não haver mulheres inteligentes


Napoleão L. Teixeira. Catedrático de Medicina Legal da Faculdade de Direito da Universidade do Paraná.
Entrando no tema, eu perguntaria o que será, afinal de contas,. a, mulher? Seria necessário falar bem, ou seria preciso falar mal da mulher?

In http://209.85.129.132/search?

Tantos falaram bem! JULIO DANTAS,por exemplo, disse que" as mulheres bonitas não têm idade – como as estátuas". JORGE FERREIRA DE VASCONCELLOS disse que "todo fruto tem um bicho, e que o bicho dessa fruta, que é a mulher, é o homem". SALOMÃO definiu-a como "ânfora de flancos perfeitos que contém tôdas as delícias da existência". CHANFORT concluiu que "as mulheres têm uma célula a menos no cérebro e uma fibra a mais no coração". ALEXANDRE DUMAS, pai, disse que" é possível que os homens valham mais, mas não há dúvida de que as mulheres valem melhor".

E há um provérbio árabe que ensina: "Cem homens podem fazer um . acampamento,mas é bastante u'a mulher para fazer um lar". Há, ao reverso, os que falaram mal. OSCAR WILDE, invertido sexual, disse que" a mulher é uma esfinge sem mistérios"; para êle, talvez fôsse... SCHOPENHAUER definiu a mulher como "um animal de cabelos compridos e de entendimento curto". PITIGRILLI disse não haver mulheres inteligentes: "são tôdas cretinas, diz êle; algumas, têm a agravante de parecerem inteligentes". Para JOLLIET, "as mulheres são relógios que constantemente se atrasam, a partir dos 25 anos".

E VICTOR RUGO disse que "se a mulher odeia a serpente é, certamente, por rivalidade". EDSON num desabafo, escreveu: "quem inventou a primeira máquina de falar foi Deus, ao criar a mulher; eu inventei-a segunda, mais aperfeiçoada, porque a minha faz-se parar quando se quer". PITIGRILLI ainda, diz que "o melhor excitante para u'a mulher é uma nota de mil..." Alguém disse "Há exceções"! 1!;lefalou: "Sim, as que pretendem duas notas. de mil". . . Há mulheres boas e há mulheres más. Não nos julgamos credenciado a falar mal da mulher. Acreditamos que aquele que fala mal da mulher é porque, no fundo, a teme. E como não a tememos, ficaremos com os que não a denigrem.. . Há mulheres lindas, há mulheres menos belas, mulheres feias e há mulheres feíssimas! VICTOR HUGO escreveu a respeito de mulheres grande, angulosas, carnudas, mulheres a que denominou femmes à soldát: nem são mulheres -'- disse êle - "são verdadeiros homasses".

As mesmas que, hoje, conhecemos como marimachos,.viragos, paraíbas. .. E há as mulheres que chegam àquela "passagem da idade", em que mostram fios de barbas, e se lhes "abigodeia" o buço, e a voz se lhes engrossa, e o físico se agranda, quando, por fôrça do novo clima endocrínico, elas se virilizam e, dessas, o irreverente ANATOLE FRANCE diz estarem na "idade canônica". Mas, é outro o tema do presente artigo. Voltemos ao assunto.

Como tem sido encarada a mulher, através das legislações? No Direito Romano antigo, era considerada incapaz por toda a vida. Jamais considerada capaz para gerir sua pessoa e bens. No Direito Germânico primitivo, a mulher estava sempre sujeita a uma espécie de tutela: primeiramente, por parte dos pais; depois, por parte dos irmãos; finalmente," por parte do marido e, a isso, chamava-se mundium.