terça-feira, 13 de outubro de 2009

O admirável mundo novo dos mosquitos


Fontes sanitárias asseguram que a reacção é 'pouco habitual e muito agressiva

Efe Torrevieja (Alicante) EL MUNDO

Actualizado segunda-feira 12/10/2009 17:13 horas

Os serviços sanitários de Torrevieja (Alicante) atenderam cerca de 300 pessoas por picaduras de mosquitos nos últimos três dias, 18 das quais foram assistidas no hospital desta localidade, informaram fontes sanitárias.

Com efeito, três casos foram diagnosticados como "muito graves", pois os afectados apresentavam febre, hipotensão, urticária e edemas; outras cinco pessoas tinham dores e inflamações nas zonas das picaduras e duas pessoas tinham infecções na pele.

Desde a passada sexta-feira, o serviço de urgências das localidades de Torrevieja, Guardamar del Segura e San Miguel de Salinas atenderam a "uma demanda massiva de pacientes" afectados com picaduras de mosquitos.

O alarme soou na passada sexta-feira no Ponto de Atenção Continuada (PAC) de La Loma, em Torrevieja, quando se contabilizaram 70 casos de pacientes com importantes reacções frente às picaduras de mosquitos.

A máxima demanda neste centro produziu-se na jornada do sábado com mais de 120 casos, enquanto que no domingo a assistência diminuiu até 76.

A médica Antonia Quiles, quem atendeu durante este fim de semana a boa parte dos casos no PAC de La Loma, afirmou que as características da reacção produzida por estas picaduras foi "pouco habitual, muito agressiva e causou uma demanda assistencial sem precedentes nestes casos".

Pela sua parte, o director da Atenção Primária da Área de Saúde de Torrevieja, Hipólito Caro, explicou que, apesar do alarme que gerou esta situação, o tratamento a estas picaduras é "sensível", com a administração de anti-histamínicos e corticóides.

As citadas fontes apontaram que, tanto no hospital como nos PAC, e apesar da elevada demanda assistencial, o serviço desenvolveu-se "sem esperas nem incidentes".

Imagem: Pés de mulher picados pelos mosquitos