sábado, 10 de outubro de 2009

Vitaminas Hidro e Lipo-solúveis


Vitaminas Hidro–Solúveis
Pertencem à classificação de "hidro-solúveis" as Vitamina B1 (tiamina), B2 (riboflavina), B3 Vitamina B5 (ácido pantoténico), B6 (piridoxina), H (biotina), B9 (ácido fólico), B12 (piridoxina) e C (ácido ascórbico).

http://pwp.netcabo.pt/naturosofia/

As vitaminas hidro–solúveis, ainda que tenham propriedades diferenciadas, estão intimamente ligadas entre si pelas reacções celulares onde estão implicadas. Estas vitaminas caracterizam-se por se dissolverem na água, pelo que podem passar para a água da lavagem ou da cocção dos alimentos. Muitos alimentos ricos neste tipo de vitaminas não nos fornecem, depois de preparados, a mesma quantidade que continham inicialmente. Para aproveitar e recuperar parte destas vitaminas (algumas destróem-se com o calor) pode-se preparar caldos ou sopas com a água da cocção das verduras.

Contrariamente às vitaminas lipo–solúveis, é mais raro ou nulo o seu armazenamento no organismo. Isto obriga a que se forneçam regularmente, e só se pode prescindir delas durante alguns dias.
O excesso de vitaminas hidro–solúveis excreta-se pela urina, pelo que não têm efeito tóxico, por muito elevado que seja o seu consumo.
Vitaminas Lipo–Solúveis
Estão classificadas como vitaminas lipo–solúveis as Vitaminas A (retinol), D (calciferol), E (tocoferol), K (anti–hemorrágica) e F (ácidos gordos essenciais).
As vitaminas lipo–solúveis são as que se diluem em dissolventes orgânicos, gorduras e óleos. Armazenam-se no fígado e tecidos adiposos, pelo que é possível, após um aprovisionamento suficiente, subsistir durante algum tempo sem o seu fornecimento.

Se as quantidades recomendadas se excedem (se são ultrapassadas em mais de 10 vezes) podem tornar-se tóxicas. Isto pode ocorrer sobretudo aos desportistas que, mesmo mantendo uma dieta equilibrada, têm a tendência de recorrer a suplementos vitamínicos em doses elevadas, com a ideia de que assim podem aumentar o seu rendimento físico. Isto é totalmente falso, tal como o é a crença de que as crianças crescem mais quanto mais vitaminas os façamos tomar.
O grupo das vitaminas lipo–solúveis encontra-se geralmente associado aos alimentos gordos: manteiga, nata, óleos vegetais, gorduras, e também em folhas de hortaliças verdes.

As vitaminas lipo–solúveis têm algumas propriedades comuns:
São mais estáveis ao calor do que as vitaminas hidro–solúveis e resistem melhor à acção e aos tratamentos industriais;
Ao absorverem-se ao mesmo tempo que os lípidos, tudo o que interfira na absorção das gorduras terá como resultado uma pior utilização destas vitaminas;
Como não são solúveis na água, estas vitaminas não serão excretadas pela urina. Manter-se-ão em reserva no organismo, principalmente no fígado, pelo que os sintomas de carência tardarão muito a manifestar-se. Devido ao facto de se manterem reserva no organismo, ingeridas em excesso podem ser tóxicas, especialmente as vitamina A e D.
Actuam sobre o crescimento, a visão, os tecidos epiteliais, o desenvolvimento ósseo, como antioxidantes e na coagulação sanguínea.

http://pwp.netcabo.pt/naturosofia/