quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Exercitar-se no calor pode melhorar performance


Apesar do calor dar um gás a mais para gente levantar a bunda da cadeira e malhar – com o verão chegando, os pensamentos de roupas de banho aterrorizam as pessoas, sem contar que o frio faz todo mundo querer ficar só debaixo das cobertas -, é um tanto quanto difícil se exercitar sob altas temperaturas.
Mas um novo estudo do Instituto de Exercício e Medicina Ambiental, em Dallas (EUA), mostrou que o desempenho físico pode melhorar como resultado da luta do nosso corpo contra as temperaturas elevadas.
Quando você se exercita em um dia quente, seu organismo se esforça para circular sangue na pele, a fim de evitar que a temperatura corporal aumente a um nível perigoso, enquanto fornece, ao mesmo tempo, sangue para os músculos.
Isso não é uma tarefa agradável. Durante 4 ou 5 dias de exercício no calor, seu corpo vai lutar para se adaptar, até se aclimatar às temperaturas altas.
Depois que o corpo tiver se adaptado, o volume de sangue aumenta, e menos oxigênio é necessário para gerar a mesma quantidade de energia, o que significa que seu coração se torna mais eficiente, e os músculos se tornam mais fortes e usam menos glicogênio, seu combustível preferido.
Vantagem psicológica
No entanto, os pesquisadores não podem afirmar que treinar no calor vai aumentar sua performance, apesar de ter o potencial de lhe dar uma vantagem.
Um grupo de pesquisadores da Universidade de Oregon (EUA) tentou descobrir se a aclimatação ao calor melhora o desempenho físico.
Ciclistas experientes foram divididos em dois grupos e fizeram treino de velocidade e resistência em manhãs frias. Na parte da tarde, um grupo experimental fez um treino menos exigente em uma sala quente, enquanto o grupo de controle fez o mesmo treino em uma sala não tão quente.
Os resultados foram surpreendentes. Após 10 dias de aclimatação ao calor, o desempenho do grupo experimental melhorou em 4 a 8%. Se você acha pouco, os pesquisadores consideram o aumento “a diferença entre chegar em primeiro ou em 21º” em um evento esportivo.
A aclimatação ao calor deu mais vantagem até do que o treinamento de altitude, considerado absolutamente essencial para qualquer atleta de provas de resistência que queira ser competitivo internacionalmente. A vantagem de desempenho foi ligeiramente maior e mais consistente no calor do que na altitude.
Mas ainda não está claro se fazer exercício extenuante no calor do verão torna as pessoas mais rápidas e mais fortes. Isso porque para ir mais rápido você tem que correr ou andar mais rápido nos treinos. E quando está quente – e, sobretudo, quente e úmido – o seu corpo fica mais lento para evitar temperaturas perigosamente altas, ou seja, você certamente não vai mais rápido.
Então, o que um atleta profissional deve fazer? Os cientistas sugerem o que os ciclistas do estudo fizeram para aumentar sua perfomance: se aclimatar ao exercício no calor para melhorar o desempenho (treinos de resistência), mas usar treinos em temperaturas frescas para ir mais rápido (treinos de velocidade).
Além disso, se há alguma vantagem clara do exercício no calor é o componente psicológico.
Segundo os cientistas, treinar duro em dias quentes e úmidos faz as pessoas superem barreiras mentais e irem mais longe.
Esse tipo de resistência pode se traduzir em um melhor desempenho.
Estudos sugerem que o estresse térmico tem sido negligenciado pelos atletas como fator que determina uma vantagem de desempenho. Os resultados encontrados até agora são suficientes para indicar que atletas de elite não precisam só treinar em altitude, mas também no calor.[NYTimes]