terça-feira, 21 de agosto de 2012

Produtores de tabaco pedem protecção de governos da SADC


Em causa está o banimento da indústria tabaqueira pela Organização Mundial da Saúde (OMS)

Maputo (Canalmoz) – Os produtores de tabaco da região Austral da África reuniram ontem em Maputo com a Imprensa para, através dela, exigirem a intervenção dos governos da SADC contra aquilo que consideram “tentativas de banimento de indústria tabaqueira” na região, através de Decreto n.º 5.658, de 2 Janeiro de 2006, sobre a convenção do uso e a comercialização e o consumo de tabaco, da autoria da Organização Mundial da Saúde (OMS).
Os produtores de tabaco estão a insurgir-se contra a Organização Mundial da Saúde e dizem que este organismo das Nações Unidas quer eliminar a produção e a comercialização de tabaco em África, através de controlo directo desta actividade.
Falando durante a conferência de Imprensa realizada ontem, em Maputo, os produtores de tabaco exigiram que os governos dos respectivos países colaborem na resolução da contenda com a OMS.
Francois Van Der Merwe, Presidente do Conselho de Administração do Instituto Sul-africano de Tabaco, falando em representação dos produtores de tabaco da região da SADC, disse que o principal problema foi o facto de a OMS ter elaborado e introduzido medidas na convenção sobre a comercialização e o consumo de tabaco sem antes ter conversado com os próprios produtores, situação que tem estado a levantar tensão entre os produtores e a OMS.
“Gostaríamos que os governos que estiverem presentes na cimeira debatessem esta questão das medidas tomadas pela OMS sobre o tabaco, porque está em jogo o poder económico que esta indústria representa nas nossas economias. Nós reconhecemos de facto que o tabaco é um problema para saúde, e avisamos as pessoas sobre isso, mas as pessoas é que escolhem se devem ou não fumar. No entanto isso não deve servir de pretexto para a OMS querer impedir a produção de tabaco”, disse Francois Van Der Merwe.
Refira-se que, de acordo com a OMS, o tabaco é uma das principais causas de mortes a nível mundial, incluindo em Moçambique. (António Frades)
Imagem: maconhadalata.blogspot.com