quinta-feira, 27 de maio de 2010

China. Apple investiga suicídios nas fábricas do iPhone




A Apple negou-se a comentar se o iPad também é montado na fábrica chinesa.

A Apple anunciou hoje que está a conduzir uma investigação às medidas adoptadas pela Foxconn para lidar com a onda de suicídios nas fábricas chinesas do iPhone.

Cristina Barreto 26/05/10 20:50 DIÁRIO ECONÓMICO

"Estamos tristes e preocupados com os recentes suicídios na Foxconn. A Apple está profundamente empenhada em assegurar que as condições de trabalho em toda a sua cadeia de fornecedores é segura e os trabalhadores são tratados com respeito e dignidade", refere a gigante tecnológica em comunicado.

A decisão da Apple surge após 10 suicídios registados desde o início do ano nas fábricas chinesas da tecnológica Foxconn, detida pelo grupo taiwanês Hon Hai Precision. A maioria dos suicídios refere-se a funcionários da fábrica de Shenzhen, no Sul da China, que conta com 420 mil operários, de um total de 800 mil que a empresa tem no país.
Os incidentes levantam suspeitas de violação dos direitos dos trabalhadores, após surgirem várias queixas na 'net' sobre os horários de trabalho, baixos salários e maus tratos por parte de supervisores. O grupo está empenhado em afastar os rumores, tendo organizado hoje uma visita guiada a jornalistas na fábrica de Shenzhen.

Entretanto, a Foxconn Technology, fornecedora de componentes para a Apple, adoptou hoje várias medidas para enfrentar esta onda de suicídios, como fazer os seus funcionários assinarem um documento, em que se comprometem por escrito a não cometer suicídio e a submeterem-se a tratamento psiquiátrico em caso de necessidade.