quinta-feira, 27 de maio de 2010

Federação defende ampliação de campanhas contra avanço da osteoporose


BRASÍLIA - A osteoporose, doença degenerativa que fragiliza os ossos, podendo aumentar o risco de fraturas, é um problema de saúde pública mundial que atinge, somente no Brasil, 35 milhões de pessoas, mas, pode ser prevenido.


É o que afirma a presidente da Federação Nacional de Associações de Combate a Osteoporose, Fenapco, Suely Boitman. A entidade, com sede no Rio de Janeiro, tem como meta difundir informações sobre a doença, bem como realizar campanhas de prevenção em todo o país.

Na opinião de Suely, é preciso esclarecer a população que, embora exista o estigma de que a osteoporose está associada a mulheres idosas, pode acometer também homens e pessoas jovens, embora com menor freqüência.

Acredita-se que as mulheres com mais de 50 anos estão mais propensas à enfermidade, devido à perda de hormônio que acontece naturalmente na menopausa, mas levantamentos recentes realizados por institutos de pesquisas do país, indicam que. a cada cinco homens com mais de 50 anos, um pode ser vítima de osteoporose ou osteopenia (estágio de perda de massa óssea anterior à doença), informa a presidente da Fenapco.

Suely Boitman diz ainda que uma das metas da instituição é trabalhar para que o governo federal amplie as campanhas de esclarecimento que contribuam para a prevenção do mal, a começar pela oferta de alimentos nutritivos ricos em cálcio e proteínas, na merenda escolar:

- O que pretendemos é que as autoridades do país nos ajudem realizando campanhas nos meios de comunicação e adotem nas escolas públicas hábitos de vida saudáveis. Aposto que com iniciativas assim o custo da saúde no país será reduzido.

Suely afirma que o trabalho de prevenção é essencial e deve ser feito com pessoas de todas as idades.

- Nós fazemos divulgação com crianças, jovens, adultos e com pessoas da terceira idade, informando que um estilo da vida saudável pode prevenir a doença - explica.

Ela lembra que, na Bahia, o governo estadual passou a oferecer gratuitamente aos pacientes de osteoporose tratamento diferenciado, com remédios de última geração.

A Fnapco pretende que o projeto seja levado a outros estados da Federação, justificando que existem casos da doença em todo o país. Em Brasília, o Ministério da Saúde, em parceria com a Secretaria de Saúde do Distrito Federal e a Universidade de Basília, realizou, nos dias 17 e 18 deste mês. uma série de atividades voltadas para a conscientização da população sobre os cuidados necessários para evitar a osteoporose.