terça-feira, 11 de maio de 2010

Cientistas ressuscitam proteína de sangue de mamute


Pesquisas recentes mostram como os mamutes conseguiam sobreviver a temperaturas tão extremas – e não era só por causa do longo pêlo.

Geneticistas ressuscitaram uma proteína do sangue de mamute para conseguir fazer essa descoberta. A proteína, que todos nós conhecemos da aula de ciências como hemoglobina, é encontrada no sangue e sua missão é carregar oxigênio para o resto do corpo.

A equipe de cientistas descobriu que a hemoglobina do mamute possuía uma adaptação e conseguia liberar oxigênio para o organismo mesmo em temperaturas baixíssimas. A capacidade da hemoglobina transportar e liberar o oxigênio é, normalmente, limitada pelo frio.

Para ressuscitar a hemoglobina, os cientistas seqüenciaram os genes do DNA de três mamutes conservados em geleiras siberianas. O resultado do processo foi a proteína “quase original” do sangue de mamute. Os cientistas afirmam que foi como viajar no tempo e pegar uma amostra.

Depois a hemoglobina foi comparada com a dos elefantesatuais e a diferença que elas mostraram em relação à adaptação ao frio foi chocante.

Se não tivessem essa adaptação genética, os mamutes perderiam mais energia no inverno para gerar mais calor e, por conseqüência, precisariam comer mais – o que, para um animal vegetariano no meio de uma “era do gelo” é difícil. [BBC]

http://hypescience.com/cientistas-ressuscitam-proteina-de-sangue-de-mamute/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed:+feedburner/xgpv+(HypeScience)

HYPESCIENCE